O fim do casamento de 32 anos do tecladista da banda Roupa Nova, Cleberson Freire Horsth terminou em um evento que segundo a ex-mulher do músico Elisete Horsth, lhe deixou marcas no corpo e na alma.

Elisete contou que Cleberson, que é evangélico, e o advogado dele, José Guilherme Souto Pereira foram na tarde de quarta-feira (25) até a residência onde o casal vivia no Recreio dos Bandeirantes para buscar um piano. Diante da recusa dela, a briga teria começado.

De acordo com Elisete que afirmou ser jornalista, o músico deixou a casa em novembro do ano passado, após o casal retornar de Londres onde o Roupa Nova finalizava um novo trabalho, ” Em Londres eu já senti que ele estava estranho, não desgrudava do celular. Mas depois de 32 anos de casamento, essas fases são normais. Quando chegamos ao Brasil ele pediu a separação e saiu de casa. O juiz determinou que ele me pagasse uma pensão de 25 mil reais mensais, que ele nunca pagou. Agora ele está com uma mulher de 27 anos e ele tem 60. Você acha que ela está apaixonada por ele? ” relatou.

Elisete afirmou também, que enquanto não fosse oficializada a separação dos bens do casal, Cleberson não poderia retirar nenhum pertence da casa. “Eu não permiti que eles entrassem na minha casa, então ele partiu pra violência e tentou me esganar, estou toda dolorida. Ele quebrou várias coisas da casa e o advogado dele me ofendeu.” Elisete Horsth disse que o tecladista só a soltou porque ela chamou dois outros integrantes da banda que moram nas casas vizinhas.

Por e-mail para o SRZD, Cleberson Horsth disse que a “denuncia feita por sua ex-esposa é falsa e já foi esclarecida na 16ª DP, na Barra da Tijuca, através de depoimento prestado por sua ex-funcionária, que a tudo assistiu, não havendo agressão alguma da sua parte e nem da parte do doutor Guilherme”.

Fonte: SRZD, via O Verbo

Deixe sua opinião