Deus justifica o ímpio

"A Graça que Justifica: Deus Redime o Ímpio pela Fé, não pelos Méritos"

110

“Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.”Romanos 4:5 (ACF)

Deus assume o título de “Aquele que justifica o ímpio”. Ele torna justo o injusto, perdoa quem merece ser punido e favorece aqueles que não merecem benefício algum. Um Deus Santo se dispõe a justificar um ímpio. Existe uma visão mundana sobre os cristãos, até de escárnio, onde o “cristão” seria o “certinho”, o puro, o perfeito, mas a bíblia nos oferece um panorama totalmente oposto, Ele diz “não há justo, nem um sequer” (Rm 3:10). Nosso coração, enganoso, como Jeremias bem pontuou (Jr. 17:9-10), nos faz crer na nossa própria bondade e ao nosso valor, assim a todo momento insistimos que trazemos algo conosco que nos faz ganhar graça aos olhos de Deus. Porém, Deus discerne todo o engano, Ele sabe que todas as nossas justiças são como trapo da imundícia (Is 64.6). Cristo não veio ao mundo encontrar para si bondade e justiça, mas para concedê-las a pessoas que não tem nenhuma das duas. O Evangelho surge não por nosso mérito, mas por nosso demérito. Ele justifica o ímpio.

Cristo veio ao mundo para salvar pecadores, e esse é o sistema desenvolvido por Deus pelo qual, de forma perfeitamente justa, pode tratar o culpado como se nunca tivesse praticado uma ofensa na vida. Deus isentará o pecador pelo fato de que ele não poupou seu filho. E se ele cancelou os nossos pecados por meio de sua morte, já não há pena, de modo que aqueles que nele creem nada têm a temer (Rm 10:11). Se o próprio Deus se curva perante sua lei, o que mais poderia ser feito? Se você talvez não perdoasse um semelhante que o ofendeu, do modo que você mesmo ofendeu a Deus, não meça Deus com sua régua. Não duvide do poder do amor, nosso Deus possui Seus pensamentos mais altos que os nossos. Não merecemos absolutamente nada, mas somos tratados como se merecêssemos algo. Ele justifica o ímpio

Isso deve ser abundantemente enfatizado, é o que torna o Evangelho acessível a mim e a você. Você não é exatamente esse tipo de pessoa? Se ainda não se converteu, tem vivido sem Deus, resumindo em uma palavra: ímpio. Talvez tenha desprezado Deus, Sua casa e Sua Palavra, resumindo em uma palavra: ímpio. Ou pior, venha tentando duvidar da existência de Deus, você fecha seus olhos para as evidências de Seu poder e de Sua divindade, você vive como se Deus não existisse, resumindo em uma palavra: ímpio. Ou talvez você seja outro tipo de pessoa, aquele que cumpre todas as formalidades externas da religião, sem se importar com uma se quer, embora se reúna com o Povo de Deus, jamais teve um encontro pessoal com Deus, já participou de um coral, mas nunca deu louvores a Deus com seu coração, você vive sem amor por Deus ou consideração por seus mandamentos, resumindo em uma palavra: ímpio.

Veja só, você é exatamente o tipo de pessoa para quem o Evangelho foi destinado! A salvação de Deus é para aqueles que não a merecem, para aqueles que não estão nem mesmo preparados para ela. Se você fosse justo, por que precisaria de um Salvador ou de misericórdia? As Escrituras dizem claramente: Não há justo, nem um sequer. Justificar o ímpio, esse é um milagre digno de Deus, tornar justo o que já é justo seria obra de tolos. “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes” (Mt 9:12), se você está espiritualmente enfermo, o Médico veio ao mundo para você. Se você se sente destruído pelo seu pecado, o plano da Salvação foi traçado para você. Você perdoaria dívidas de quem não lhe deve nada? Exatamente por isso o perdão não existe para quem não há pecado. Você crê estar perdido por ser um pecador? Alegre-se esse é o motivo pelo qual você pode ser salvo. Cristo veio pra os cansados e sobrecarregados, para dar descanso (Mt 11:28), sua imperfeição é o que exatamente te qualifica a ir diante Dele, e Ele diz que todo aquele que vier, Ele não lançará fora (Jo 6:37).

O enorme precipício do amor abnegado de Jesus pode derrubar as montanhas dos nossos pecados, todas elas de uma vez. Ele tomou nosso lugar e suportou, para que jamais tivéssemos que suportar, a justa ira de seu Pai. Deus é infinitamente perfeito, por isso nenhuma de Suas qualidades estão acima das outras, mas em perfeito equilíbrio, a cruz nada mais é que a pura expressão do Seu amor, mas também da Sua justiça. Jesus não morreu por pecados imaginários, o sangue de seu corpo foi derramado para lavar nossa mais profundas máculas que não seriam eliminadas de outra forma. Entenda, o pecador é o motivo pelo qual o Evangelho existe. Se você se considera digno do inferno, é o tipo de homem para quem Deus organizou e proclamou o Evangelho.

Há quem creia que a Salvação é destinada aos penitentes, “Ora”, diz essa pessoa, “devo agir assim e dessa forma”, isso é verdade, porém a mudança comportamental é a consequência da Salvação, não o motivo dela para te alcançar. A Salvação nos alcança quando merecemos apenas o título de “ímpio”. Isso é tudo que somos quando Deus nos alcança, por seu Evangelho, e nos justifica. Nosso Deus está disposto a nos resgatar sem que nada nos recomende. Nos perdoa espontaneamente, não porque temos algo de bom em si, mas porque Ele é bom. O Evangelho nos recebe em seus átrios se viermos como pecadores, não de outra forma. Não espere até estar renovado e descansado, venha de imediato. Deus justifica o ímpio, e isso significa ir buscá-lo onde estiver, ele o encontra em seu pior estado.

Venha sem se preparar. Venha a Jesus da forma que estiver: sujo, nu, sem preparo para viver ou morrer. Venha e peça a Deus para justificar mais um ímpio. Sendo assim, valho-me de uma parábola de Spurgeon: Um grande artista, há algum tempo, foi convidado a pintar uma parede da sede de uma empresa numa cidade em que ele vivia. Ele quis, por razões históricas, incluir em sua pintura alguns personagens bem conhecidas na cidade. Um varredor de ruas, desleixado, esfarrapado e sujo era um personagem conhecido de todos, e ele contava com um lugar adequado na pintura. O artista disse ao homem esfarrapado e robusto: “Eu lhe pagarei bem se você vier ao meu estúdio e me deixar retratá-lo”. O varredor voltou pela manhã mas foi dispensado: ele havia lavado o rosto, penteado o cabelo e estava usando roupas respeitáveis. Precisavam dele com a aparência de um mendigo, não em em outra função. De modo semelhante, o Senhor Deus toma para si o gracioso título de “Aquele que justifica o ímpio”. Ele torna justos, e faz com que sejam tratados como justos, aqueles que são ímpios por natureza. Venha diante de Deus como é, sua impiedade te qualifica para ser salvo. Não se traje de branco, permita que Ele mesmo te torne mais alvo que a neve.

Referências: Spurgeon, Salvo pela Graça.

Deixe sua opinião