bosco-e-pd-marceloUma cena inusitada aconteceu na entrevista coletiva do São Paulo nesta quarta-feira no CCT da Barra Funda. Irritados com a demora de Richarlyson para comparecer ao local para falar, os jornalistas decidiram não fazer perguntas para o jogador. Somente a equipe da TV Globo não participou do ‘boicote’.

A atitude gerou uma ‘saia-justa’ para Richarlyson e para a assessoria de imprensa do São Paulo. Segundo o assessor do clube, Juca Pacheco, o atraso do jogador ocorreu pela visita surpresa do padre Marcelo Rossi – que é corintiano – para fazer uma palestra ao elenco são-paulino.“O padre veio e o Juvenal [Juvêncio, presidente do São Paulo] pediu a presença de todos os jogadores para ouvir o que ele tinha para dizer. Eu tive que estar lá também, por isso não deu para avisar vocês”, se desculpou o assessor.

Alheio ao ocorrido, o padre esteve no CT a convite do goleiro Rogério Ceni e foi saudado também pelo técnico Muricy Ramalho. Marcelo Rossi conheceu o Reffis e aproveitou a visita para passar uma mensagem ao elenco.

Mesmo os são-paulinos não católicos saudaram o padre e valorizaram a sua presença. “Independente de religião, ele veio aqui com o objetivo de nos abençoar e falar sobre o quanto é preciso ter fé, porque fé é esperança e quem não tem esperança não chega a lugar nenhum. Achei muito legal a visita dele, porque mesmo tendo várias religiões diferentes, sabemos que estamos unidos em um mesmo Deus”, disse o goleiro Bosco, que é evangélico.

O zagueiro Rodrigo, católico, também considerou mais do que válida a presença do padre no CT. “Foi muito bom ele ter vindo aqui, porque muitas vezes não temos tempo ou oportunidades para expressar a nossa fé. Hoje ele nos fez pensar em Deus e renovar a nossa fé tanto Nele como no trabalho que estamos fazendo aqui no São Paulo e no que desejamos alcançar”, afirmou.

SPNET/padom.com

Deixe sua opinião