JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

O casal, Cristiana Pereira, de 27 anos, e Egnaldo Couto, de 31, marcou a cerimônia de casamento na Igreja São Judas para o dia 17 de outubro deste ano. Após checar as normas da paróquia para concretizar a união, a administradora Cristiana começou os preparos e as pesquisas de preço para o casamento. A escolha da igreja foi feita pela noiva, que sempre frequentou essa paróquia. Porém, segundo o casal, nada correu como esperado.Eles souberam de alterações nas regras para o matrimônio e foram se informar com o padre Francisco Carlos. “A gente só poderia fazer a decoração com a loja que o padre escolheu, sendo que o valor sairia R$ 170 mais caro”, desabafa Cristiana. Outro motivo de revolta foi o tratamento ríspido que o casal recebeu do pároco. “Desisti de casar porque não quero ser abençoada por uma pessoa dessa”.

A paróquia rebate dizendo que apenas houve uma proposta de decoração feita pela igreja no menor valor possível para que seja do acesso de todos. “Após uma primeira conversa pessoal, foi feita a sugestão de fazer um orçamento numa floricultura já conhecida, para que se pudesse ter uma melhor proposta. A pessoa (Cristiana) recusou-se conversar e verificar outros preços oferecidos alegando não ter tempo”, explicou a direção paroquial.

A Igreja alega também que os argumentos do casal não têm fundamentos. “No dia 30 de maio, às 10h20, foram realizados 18 casamentos gratuitos sendo que os casais tiveram a alegria de receber o sacramento, além do altar estar decorado luxuosamente com flores nobres, sem custo aos noivos”, conclui.

Fonte:Jornal Periscópio/ov/padom.com

Deixe sua opinião

JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗