A pedido de funcionários da rede pública, a prefeitura de Criciúma promoveu ontem à tarde um culto ecumênico em memória dos desaparecidos no desastre aéreo com o avião da Air France, em especial da funcionária Deise Possamai. A catarinense de Nova Veneza completaria 35 anos ontem.A celebração ocorreu no pátio interno do Paço Municipal Marcos Rovaris e reuniu cerca de cem pessoas, entre funcionários públicos e parentes de Deise. Os pais dela, Valdir Possamai e Jucelda Duminelli Possamai, e a avó e madrinha, Antônia Amboni Duminelli, também participaram.

A amiga Josiane Bombazar, que trabalhava com Deise na prefeitura de Criciúma, no setor de tributos, abriu o culto lembrando a nobreza, elegância e discrição da desaparecida.

– Resolvi me poupar também, não vou atrás de notícias, apenas converso com a família de Deise. É um momento doloroso e não tenho como contribuir – disse.

Um reverendo da Igreja Anglicana, um pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus e um padre da Igreja Católica deixaram palavras de conforto e desejo de paz aos familiares e amigos de Deise.

No final da cerimônia, o chefe da Secretaria de Sistema Econômico, Cloir da Soller, onde Deise trabalhava, entregou flores aos pais dela.

Hoje, Valdir e Jucelda serão levados pela prefeitura de Criciúma a Florianópolis, onde fornecerão material para testes de DNA a fim de identificar o corpo da filha.

O irmão da funcionária pública, Joel Possamai, segue nesta semana para o Rio de Janeiro, onde passa a acompanhar os desdobramentos do acidente com os parentes de outras vítimas.

Diario Catarinense/padom.com

Deixe sua opinião