Terroristas islâmicos que sequestraram 11 cristãos no nordeste da Nigéria em 25 de dezembro executaram cinco deles, de acordo com um vídeo divulgado pela agência de notícias AMAQ do Estado Islâmico.

O vídeo de 49 segundos, datado de 29 de dezembro, mostra cinco membros armados da Província da África Ocidental do Estado Islâmico (ISWAP) alinhando-se atrás de cinco homens vestidos com túnicas laranja que estão ajoelhados com as mãos amarradas atrás deles. Ordenado na língua Hausa para declarar seus nomes, cada um dos homens ajoelhados, por sua vez, é ouvido dizendo seu nome e acrescentando: “Eu sou um cristão”.

Morning Star News ouviu os nomes falados como Uka Joseph, Sunday, Wilson, Joshua Maidugu e Garba Yusuf.

Falando na língua hausa, comum em todo o norte da Nigéria, um dos militantes do ISWAP então disse: “Este é um aviso aos cristãos em todas as partes do mundo e na Nigéria. Não esquecemos o que você fez aos nossos irmãos na cidade de Zangon Kataf e em outras partes da Nigéria. Use as cabeças desses cinco de seus irmãos para continuar com suas celebrações ímpias. ”

Os cinco cristãos são mortos a tiros.

A citação do carrasco de Zangon-Kataf parece referir-se a confrontos étnicos na área no estado de Kaduna em 1992 sobre uma proposta de realocar um mercado de terras concedidas ao povo Hausa, que é principalmente muçulmano. Os confrontos eclodiram entre eles e os indígenas, predominantemente cristãos Atyap, resultando em 60 mortes em fevereiro de 1992 e mais 400 em maio de 1992, com jovens Hausa matando muitos cristãos de várias tribos em retaliação.

Na véspera de Natal, terroristas ISWAP começaram um ataque a Garkida, no estado de Adamawa, que os residentes locais presumiram ter sido lançado por Boko Haram, o grupo extremista islâmico do qual ISWAP se separou em 2016. O governo e fontes locais disseram que o exército nigeriano repeliu o ataque, mas como continuou até altas horas do dia de Natal, os agressores teriam matado seis cristãos e sequestrado 11 outros.

O Morning Star News recebeu mensagens de residentes da área na quarta-feira (30 de dezembro) afirmando que seis cristãos foram mortos no ataque de sexta-feira (25 de dezembro) a Garkida, e que os cristãos martirizados no vídeo estavam entre os 11 sequestrados.

Moses Abarshi, um líder cristão no norte da Nigéria, notificou o Morning Star News que um cristão havia lhe contado que seu irmão e quatro outros cristãos haviam sido executados por causa de sua fé.

“Por favor, vamos manter a família em nossos pensamentos e orações neste momento difícil”, disse Abarshi por mensagem de texto. “Que o sangue desses mártires continue falando pelo evangelho. Que a igreja não fique assustada e desanimada, em nome de Jesus! ”

No ataque à cidade de Garkida, o ISWAP incendiou casas, saqueou lojas e armazéns, incendiou um hospital e tirou comida de casas, disseram os cristãos da área.

Em 22 de julho, um vídeo foi divulgado mostrando terroristas que se acredita serem membros do ISWAP executando cinco homens, com um militante dizendo que estava alertando para “todos aqueles que estão sendo usados ??por infiéis para converter muçulmanos ao cristianismo”.

O Departamento de Estado dos EUA em 7 de dezembro adicionou a Nigéria à sua lista de Países de Preocupação Particular por se envolver em ou tolerar “violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa”. A Nigéria juntou-se à lista de Burma, China, Eritreia, Irã, Coréia do Norte, Paquistão, Arábia Saudita, Tadjiquistão e Turcomenistão.

Em uma categoria mais recente de atores não estatais, o Departamento de Estado também designou ISWAP, Boko Haram, Al-Shabaab, Al-Qaeda, Hayat Tahrir al-Sham, os Houthis, ISIS, ISIS-Grande Saara, Jamaat Nasr al-Islam wal Muslimin e o Talibã como “Entidades de Preocupação Particular”.

Em 10 de dezembro, o promotor do Tribunal Penal Internacional, Fatou Bensouda, emitiu uma  declaração  pedindo a investigação de crimes contra a humanidade na Nigéria.

Em 30 de janeiro, o  Christian Solidarity International  (CSI) emitiu um  alerta de genocídio  para a Nigéria, conclamando o Membro Permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas a agir. A CSI fez o apelo em resposta a “uma onda crescente de violência dirigida contra os cristãos nigerianos e outros classificados como ‘infiéis’ por militantes islâmicos nas regiões do cinturão central e norte do país'”.

Estamos terminando o Ano de 2020 com essa triste notícia! Que possamos orar a Deus para que neste novo ano que se inicia, nossos irmãos possam continuar firmes e fortes em meio a perseguição. FELIZ 2021!

Deixe sua opinião