Está marcado para a próxima segunda-feira (25), às 12h, no Tribunal do Júri de Ouro Preto, o julgamento de quatro acusados de matar uma estudante em 2001 durante uma festa conhecida na cidade como “Festa do Doze”.
Segundo denúncia feita pelo Ministério Público, os estudantes seriam usuários de drogas e ligados a seitas macabras. Ainda conforme o MP, os princípios da seita estariam relacionados com jogos de RPG (Role Playing Game).
O crime aconteceu em 2001, mas a prisão preventiva dos suspeitos foi decretada em 2006. Atualmente, eles estão em liberdade. Conforme a denúncia, a estudante foi até a cidade para a festa com uma prima, acusada de envolvimento no crime, e uma amiga.
Elas ficaram hospedadas na república Sonata, a convite de um dos moradores, também suspeito de participação no crime. Segundo depoimento de uma turma de hippies convidada a se hospedar na casa, três moradores da casa organizaram uma festa na república no dia 13, mas nem eles e nem as meninas convidadas estavam presentes.
No mesmo dia, o vigia de um cemitério da cidade registrou boletim de ocorrência depois de ter encontrado um túmulo violado no local, com aspecto que estava preparado para um enterro. Na madrugada do dia 14 daquele ano, o corpo da menina foi encontrado no cemitério da Igreja Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia. Ela foi encontrada sem roupas, postada de braços abertos e pés sobrepostos, com 17 lesões.
Conforme observações da polícia, os acusados tentaram eliminar provas na república, cartazes de jogos de RPG foram retirados, roupas foram lavadas e um dos cômodos foi limpado com cloro. Segundo o MP, durante as investigações eles também teriam tentado eliminar provas e ameaçado testemunhas.

O Tempo/www.padom.com

Deixe sua opinião