Na noite desta segunda-feira o treinador Silas compareceu à festa dos melhores do ano, promovida pela CBF, na qual ficou com o segundo lugar entre os melhores técnicos do Campeonato Brasileiro. Após a solenidade, ele concedeu entrevistas, nas quais falou de seus projetos no comando do time gaúcho, e adiantou que atletas “baladeiros” não têm vez com ele.Silas em momento algum disse esperar encontrar esse tipo de profissional no estádio Olímpico. Ele apenas fez a referência quando questionado sobre sua fé religiosa e a possibilidade de montar um grupo de “atletas de Cristo”. Ao responder, disse: “Cada um tem de respeitar o direito do outro. O jogador pode ser católico, macumbeiro, evangélico, espírita… Fora de campo cada um que vá na igreja que quiser. O problema é quem não se cuida, vai para a balada, não respeita os companheiros, esse é que não cabe mais no futebol de hoje”.

Silas disse que, em meio às negociações que manteve com dirigentes do Grêmio, antes de ser contratado, “ouvi muita bobagem”, como essa de que sus filosofia indicava a formação de um time de fanáticos religiosos. “Mas falei com o Meira – diretor de futebol Luis Onofre Meira – olho no olho, quando foi a Florianópolis me encontrar e ele viu bem quem eu sou”, acrescentou Silas.

O técnico chega a Porto Alegre nesta quarta-feira, e será apresentado oficialmente numa entrevista coletiva na sala de conferências do estádio Olímpico. Na chegada, deverá reafirmar suas posições quanto à necessidade de disciplina no grupo, o que parece ser uma obsessão. “Gosto de cumprir horário e de gente que cumpra horário. A indisciplina vai ser tratada com a diretoria e, assim, que a comissão técnica seja respeitada pelos jogadores, principalmente quando não estiverem jogando, ocupando o banco de reservas”, concluiu o novo treinador gremista.

Uol / Padom

Deixe sua opinião