ruínas-palacio-davi-Khirbet-Qeiyafa

ruínas-palacio-davi-Khirbet-QeiyafaUma equipe de arqueólogos liderada pelo professor Yossi Garfinkel, da Universidade Hebraica, e apoiado pela Autoridade de Antiguidades de Israel, anunciou a descoberta de um palácio e um armazém do rei Davi.

De acordo com especialistas, seria um dos maiores edifícios descoberto até agora. Os desafios que remontam ao século X aC, pertence à casa real confirmando também a extensão do reino de Davi, que teria feito desta cidade um lugar fortificado. Esta cidade é identificada pela bíblia como Saaraim, sendo mencionada no livro de Josué, e no primeiro livro de Samuel.

A escavação deste assentamento é um dos mais interessantes dos últimos anos e esta chegando a seu fim, segundo anunciou Yossi Garfinkel e Saar Ganor. “Khirbet Qeiyafa é o melhor exemplo exposto até agora de uma cidade fortificada da época do rei Davi. A parte sul de um grande palácio que se estendeu em uma área de cerca mil metros quadrados. O muro delimitador do palácio é de 30 metros de cumprimento e conta com uma impressionante entrada através da qual se desce ate a porta sul da cidade, de frente ao vale de Elah“, explicam.

porta-sul-da-cidade-davi-Khirbet-Qeiyafa
O portão sul da cidade, um porta típica da Idade do Ferro de quatro câmaras, com o Vale de Elah a sua frente.

Ao redor do perímetro do palácio, encontram outros espaços fechados,  onde foram encontrados evidencias de uma industria de metais, recipientes especiais de cerâmica e fragmentos de vasos de alabastro que foram importados do Egito.

O palácio se encontra no centro do assentamento, onde se podia controlar toda a cidade. A partir deste ponto, o mais alto, teria uma visão privilegiada do entorno, com o Mar Mediterrâneo e as montanhas de Hebron e Jerusalém para o oriente.

Segundo os pesquisadores grande parte do palácio foi destruída 1400 anos mais tarde, quando uma fazenda fortificada foi construída ali, no período bizantino.

Entre os restos encontrados, podem ser visto centenas de grandes jarras e vasos, cujo identificador esta estampado com o selo oficial, como era de costume no Reino de Judá durante séculos.

O palácio e os armazéns seriam uma evidencia da construção patrocinada pelo Estado e uma organização administrativa durante o reinado do rei Davi. “Isto é uma prova inequívoca da existência de um reino, que empreendeu centros administrativos em pontos estratégicos.”, dizem os arqueólogos. “Até o momento nenhum outro palácio que foram encontrados podem ser claramente atribuídos a esta data (século x antes de Cristo), como podemos fazer agora. Khirbet Qeiyaja foi destruído provavelmente em uma das batalhas travadas contra os filisteus entorno do ano 980 antes de Cristo. O palácio que temos encontrado e a cidade fortificada e as descobertas dos últimos anos nos dá outro nível de compreensão de como começou o reino de Judá”.

A exposição da cidade bíblia em Khirbet Qeiyafa e a importância dos resultados de suas descobertas tem levado a Autoridade de Antiguidades de Israel atuar juntamente com a Autoridade de Natureza e Parques e o organismo de planejamento para cancelar a construção de um novo bairro na proximidade e promover uma declaração da área ao redor como parque nacional. Este plano este baseado na crença de que o sitio se convertera rapidamente em um lugar que atrairá um grande número de turistas. –  CBN


Portal Padom 

Deixe sua opinião