Papa Francisco lamenta casais que preferem animais de estimação a ter filhos

O Papa Francisco lamentou que nos dias de hoje, cada vez mais casais parecem contentes em ter cães e gatos, ao invés de filhos.

O Papa Francisco lamentou que nos dias de hoje, cada vez mais casais parecem contentes em ter cães e gatos, ao invés de filhos.

Em sua audiência geral na quarta-feira, o Papa descreveu a tendência de queda nas taxas de natalidade nos países ocidentais como um “inverno demográfico”.

Mas ele também lamentou que os casais que optam por ter filhos parem depois de apenas um ou dois.

Ele culpou a tendência de não ter filhos a “um certo egoísmo” na sociedade.

O Papa disse que embora haja “sempre um risco” em ter filhos, é “mais arriscado não os ter”.

“Outro dia, falei sobre o inverno demográfico que existe hoje, em que vemos que as pessoas não querem ter filhos, ou apenas um e não mais”, disse.

“E muitos, muitos casais não têm filhos porque não querem, ou porque têm apenas um – mas têm dois cães, dois gatos… Sim, os cães e os gatos ocupam o lugar dos filhos”.

O Papa a seguir advertiu contra “a negação da paternidade ou da maternidade”, que disse “nos diminui” e “tira nossa humanidade”.

“É mais arriscado negar a paternidade, ou negar a maternidade, seja ela real ou espiritual”, disse ele.

“Mas a negação, um homem ou mulher que não desenvolve o sentido de paternidade ou maternidade, está faltando algo, algo fundamental, algo importante”.

Ele advertiu que a própria civilização diminuiria se as taxas de natalidade continuassem diminuindo.

“A civilização envelhece e fica sem humanidade porque perde a riqueza da paternidade e da maternidade”, disse ele.

“E a nossa pátria sofre, por não ter filhos, e, como já se disse com um pouco de humor, ‘e agora quem vai pagar os impostos da minha pensão, se não tiver filhos?’ … [É] a verdade.”

Deixe sua opinião