Uma nadadora olímpica da África do Sul está atribuindo seu sucesso a Deus depois de estabelecer um novo recorde nos 200 metros de peito feminino na quarta-feira. 

Tatjana Schoenmaker, 24, terminou a rodada preliminar com o tempo de 2:19,16, com a final marcada para quinta-feira, relata Faithwire. O novo recorde, no entanto, ficou apenas 0,05 abaixo do recorde mundial, que foi estabelecido em 2013.

Ela também quebrou outro recorde durante as rodadas preliminares ao completar um nado peito de 100 metros com o tempo de 1:04.82. Na segunda-feira, Schoenmaker conquistou a medalha de prata na prova dos 100 metros.

Em todas as suas competições nas Olimpíadas de Tóquio, Schoenmaker usou uma touca verde com uma touca branca por baixo, proclamando sua fé cristã.

A touca branca apresenta a imagem de um peixe azul de Jesus e a frase “Soli Deo Gloria”, que significa “Glória Somente a Deus.” impressa na lateral dela. 

Em um post no Instagram na semana passada, Schoenmaker postou uma oração antes de sua viagem a Tóquio para os Jogos Olímpicos.

“Deus Pai, que a Tua vontade seja feita, que a Tua paz nos preencha, que possamos louvá-lo, não importa qual seja o resultado, que sejamos capacitados por Tua força para dar tudo de nós e que possamos para sempre temer a Tua bondade!” ela escreveu. “Obrigado por nos trazer a este exato momento.”

A nadadora acrescentou: “Ps. Uau, isso ainda é tão irreal! Não há palavras para descrever como estamos nos sentindo.”

De acordo com Swim Swam, Schoenmaker ganhou vários campeonatos nos últimos anos. Em 2018, ela conquistou o ouro duas vezes nos 100 metros e nos 200 metros peito. Um ano depois, ela estabeleceria recordes para seu país nos Jogos Universitários Mundiais de 2019 e no Campeonato Mundial de 2019.

Leia também!  Grandes nomes da música gospel na conferência BurnoutGZero

Em 2020, apesar da pandemia de COVID-19, Schoemaker continuou a progredir ao quebrar quatro dos seis recordes sul-africanos em eventos de nado de peito, com três em seis sendo recordes africanos.

Schoemaker também ganhou os prêmios Slammy de 2018, 2019 e 2020 para a Mulher Africana do Ano.

Deixe sua opinião