Lei da pena de morte foi aprovada para blasfemos no Kuwait

A Assembleia Nacional do Kuwait aprovou por maioria de votos uma nova lei que impõe a pena de morte a todos aqueles muçulmanos que insultarem a Alá, o Alcorão, os profetas e aqueles que mancham a honra de Maomé e suas esposas, segundo informou o jornal Kuwait Times.

No total de 40 parlamentares, incluindo a todos os ministros presentes, votaram a favor da lei, enquanto apenas cinco parlamentares xiitas e um liberal votaram contra a mesma.  A nova lei entrará em vigor após a publicação no diário oficial, ‘Kuwait Today’, que na teoria ocorrera no próximo mês após a aprovação e aceitação da lei por parte do Executivo.

Os dois artigos introduzidos na lei obrigam que os juízes peça aos acusados que se arrependam. Caso eles peçam perdão pelo crime, a pena será reduzida para cinco anos de prisão e uma multa de 10.000 dinares kuwaities (aproximadamente 71 mil reais). Se o mesmo se recusar a se arrepender, será executado, caso seja um muçulmano.

No entanto, para aqueles acusados que não são muçulmanos, a lei prevê uma pena de pelo menos dez anos de prisão, apesar de alguns parlamentares pedirem também que se aplique a lei da pena de morte.

Podemos ver claramente, que esta lei foi criada para barrar a conversão de muçulmanos para o cristianismo. Pois quando um muçulmano se converte, automaticamente ele é acusado de ter blasfemado contra Maomé, Alá e o Alcorão.

Oremos pelos nossos irmãos que estão nestes países.

Portal Padom

Deixe sua opinião