Hospital nega transplante de rim para adolescente que não tomou vacina contra COVID-19

Os pais de uma adolescente de 14 anos que sofre de uma doença renal degenerativa rara, dizem o Duke University Hospital em Durham, Carolina do Norte, negaram à filha um transplante de rim que poderia salvar a sua vida, porque ela não tomou a vacina COVID-19.

320
Adolescente sendo vacinada (pexels)
Adolescente sendo vacinada (pexels)

Os pais de uma adolescente de 14 anos que sofre de uma doença renal degenerativa rara, dizem o Duke University Hospital em Durham, Carolina do Norte, negaram à filha um transplante de rim que poderia salvar a sua vida, porque ela não tomou a vacina COVID-19.

Chrissy Hicks, mãe de Yulia Hicks, compartilhou com a Fox News a gravação de uma conversa telefônica que teve com um especialista em rins da Duke Health.

Não posso exigir que você faça nada. Posso recomendar essas coisas, mas se você não seguir nossas recomendações, Yulia não pode ser uma candidata a transplante aqui. … Não ser vacinada pelas vacinas recomendadas pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) com base em sua idade faz parte disso ”, pode-se ouvir o especialista dizendo à mãe.

A família Hicks disse que Yulia, que sofre da Síndrome de Loken Sênior, teve COVID e se recuperou e, portanto, tem imunidade natural.

Eu disse: ‘Então, basicamente, você está nos dizendo que se ela não tomar a vacina, então ela não fará um transplante’”  “E (o hospital) disse: ‘Sim, essa é a única coisa que está nos atrasando.’”

O pai da menina, Lee Hicks, disse: “Fomos sinceros durante todo o tempo em que fomos no hospital Duke, nos últimos dois anos, que não estávamos confortáveis ??com a vacina. … E então eles sabiam o tempo todo que não estávamos confortáveis ??com isso. E não era uma exigência. Foi … uma recomendação, de acordo com (os médicos) no início – até o final.”

Foi depois de uma “avaliação (médica) de nove horas”, dois meses atrás, que os médicos e funcionários do hospital “decidiram ou nos disseram que este seria um requisito altamente recomendado para ela receber uma vacina antes de receber o transplante”, acrescentou.

Chrissy e Lee Hicks têm oito filhos biológicos e três filhos adotivos, incluindo Yulia, que adotaram na Ucrânia em janeiro passado.

A mãe disse que a família contratou um advogado para travar uma batalha legal com o Duke Hospital.

Mas não queremos que a vida de Yulia seja envolvida no litígio. Esperamos que um centro médico possa dar um passo à frente e dizer: ‘Venha aqui, faremos o transplante sem a vacinação.’”

Captura de tela: Fox News

Uma campanha online está arrecadando dinheiro para o transplante de rim de Yulia. 

Pesquisadores da Maccabi Healthcare e da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriram no ano passado que “a imunidade natural oferece proteção mais duradoura e mais forte contra infecções, doenças sintomáticas e hospitalização”.

Este é o maior estudo observacional do mundo real comparando a imunidade natural, obtida por meio de uma infecção anterior por SARS-CoV-2, com a imunidade induzida por vacina, fornecida pela vacina de mRNA BNT162b2”, disseram os pesquisadores.

Outros estudos também mostraram que as pessoas que já contraíram o coronavírus provavelmente terão  imunidade vitalícia.

Deixe sua opinião