imagem ilustrativa

O evangelista coreano, Jinwook Kim, no último dia 19, foi esfaqueado na cidade de Diyarbakir, sudeste na Turquia, embora ele tenha sido encaminhado ao hospital, ele não resistiu devido a gravidade dos ferimentos.

A Diretoria de Segurança Pública do Murder Bureau prendeu um suspeito de 16 anos e uma investigação está em andamento.

Kim, tinha 41 anos, ele havia chegado a Diyarbakir com sua família no início deste ano e estava pastoreando uma pequena comunidade de cristãos. O agressor esfaqueou Kim três vezes: duas vezes no coração, uma vez nas costas. As autoridades, no entanto, afirmam que o incidente ocorreu em um esforço para roubar o celular de Kim.

Os fiéis que pretecem a igreja da vítima, exortam as autoridades a investigar o incidente como um assassinato, em vez de uma tentativa de extorsão.

Kim era casado e tinha um filho e seu segundo filho deve nascer nos próximos dias. Um funeral será realizado amanhã. Ele viveu na Turquia por cinco anos.

Kim é o primeiro cristão assassinado na Turquia desde os assassinatos em 2007 na Editora Zirve, que deixaram três cristãos martirizados em Malatya. Os cristãos que vivem na Turquia relataram um aumento de assédio, ameaças e outros incidentes não violentos nos últimos três anos. A Turquia é considerada um país de interesse especial de nível 2 pela Comissão dos Estados Unidos sobre liberdade religiosa internacional.

Este é o primeiro martírio desde Malatya. O governo turco iniciou uma deportação maciça de líderes protestantes que serviram na Turquia por muitos anos ”, disse um líder da igreja. “Mas deportação não é suficiente para impedir os evangelistas. Esse tipo de ataque poderia assusta-los. Eu acho que este é o último nível de um plano, sendo como a China.”

Não foi apenas um assalto; eles vieram para matá-lo ”, acrescentou um evangelista turco, que recebeu uma ameaça de morte no dia seguinte a este incidente. “Sempre recebemos ameaças. Um irmão profetizou há alguns dias que eles (o governo) vão expulsar esses estrangeiros e provavelmente matar alguns irmãos turcos. Eles vão causar o caos. Eles sabem que estou tentando espalhar o evangelho, para que também possam me atingir. Isso pode ser um sinal.

Claire Evans, gerente regional da ICC para o Oriente Médio, disse: “A tristeza na comunidade cristã da Turquia é fortemente sentida, juntamente com grande choque e medo. O martírio não é normal na Turquia e, infelizmente, esse incidente mostra o quanto o país mudou. Apenas neste ano, vimos um aumento significativo de incidentes comprovando como o ambiente se tornou mais hostil ao cristianismo. Oferecemos nossas sinceras condolências à família e oramos pela paz de Deus por eles nesse período difícil. Também instamos as autoridades a estabelecer exemplos públicos de tolerância religiosa e a investigar esse incidente com honestidade e devido processo legal. ”- International Christian Concern

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia