Um bebê prematuro de 3 semanas vence sua batalha contra o coronavírus, tornando-o um dos pacientes mais jovens da Escócia com COVID-19.

No dia 26 de março, Tracy Maguire deu à luz a doce Peyton Elizabeth via cesariana. Peyton foi oito semanas prematuro e pesa apenas 1,5 kg.

A nova mãe foi informada de que ela pode ter pré-eclâmpsia, uma complicação da gravidez caracterizada por pressão alta, e foi enviada ao Wishaw General Hospital em Lanarkshire.

Nas semanas seguintes, a pequena Peyton mostrou os sintomas mais leves, quase indetectáveis, de coronavírus, um fungo e poucas tosses.

Diagnóstico Positivo para coronavírus

O coração de Tracy estava quebrado enquanto ela observava os médicos colocarem um cotonete no nariz minúsculo de sua filha para testes.

“Foi a primeira vez que vi meu bebê chorar lágrimas”, disse Tracy. “Eu a segurei, estava chorando e estávamos apenas tentando nos entender através da situação.”

O teste de Peyton para o vírus deu positivo, mas a equipe médica trabalhou duro para manter o bebê prematuro bem.

“Eles disseram ‘ela está bem, não entre em pânico – mas ela testou positivo para o coronavírus'”, disse ela.

Recuperação

Depois de quase um mês lutando corajosamente por sua vida, Peyton finalmente conseguiu voltar para casa. Ela está curada do coronavírus após dois resultados negativos.

“Ela mostrou a todos o quanto ela é uma lutadora absoluta e embora seja pequena tem muito caráter”, disse Tracy. “Eu continuo pensando comigo mesma que não foi como planejado, mas ela é perfeita em todos os aspectos e não poderíamos ter tido mais sorte por isso. Se pudermos tirar um resultado positivo disso, é o fato de que, embora ela tenha tido coronavírus, ela ainda está aqui.”

https://facebook.com/stvnews/videos/1350570145135177/

Oração para todos os pacientes

Tracy e o marido John pediram a todos que orassem por aqueles que ainda estão lutando por suas vidas.

“Para todas as pessoas que estavam orando por nossa garota, por favor, faça todas as suas maravilhosas orações para as pessoas que ainda estão no hospital, ainda em risco e ainda sofrendo com o coronavírus COVID-19.”

Deixe sua opinião