Js. 1.1-6: Sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do Senhor, que este falou a Josué, filho de Num, servidor de Moisés, dizendo:

2 – Moisés, meu servo é morto; levanta-te, pois,  agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel.

3 – Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés.

4 – Desde o deserto e do Líbano, até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus, e até o grande mar para o poente do sol, será o vosso termo.

5 – Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei.

6 – Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tú farás este povo herdar a terra que, jurei a seus pais lhes daria.

 Uma das maiores dificuldades que o ser humano tem é a de saber lidar com suas perdas. Um dia Deus disse: “Façamos o homem à Nossa imagem e Semelhança”. Soprou em suas narinas o fôlego de vida e deu a ele (homem) o poder de dominar sobre toda a criação da terra. Com isso foi inserido dentro do homem o caráter de um vencedor. Alguém que não nasceu para morrer e nem para perder, para ser eterno e para sempre ser um vencedor. Mas um dia esse mesmo homem pecou e destituído foi do cetro de autoridade que a ele foi outorgado por Deus e agora junto com o pecado entrou a morte e as perdas.

Podemos considerar que há três tipos de perdas que o homem sofre.

1º Tipo de perda: PERDA MATERIAL

Nesse tipo de perda está inserida a perda de uma casa, de um carro, de um emprego, de uma empresa, de uma quantia financeira, ou seja, tudo aquilo que possui um valor financeiro.

2º. Tipo de perda: PERDA FÍSICA

É quando perdemos a saúde. Estamos bem, tudo parece funcionar perfeitamente, e de repente, sofremos com uma enfermidade. Às vezes essa perda é momentânea, mas há casos em que essa perda se prolonga por algum tempo levando até mesmo a morte. É quando alguém sofre com um tipo de doença terminal ou degenerativa.

3º. Tipo de perda: PERDA SENTIMENTAL

É quando perdemos alguém ou algo que para nós não tem um valor financeiro, mas sim, sentimental, emocional. É quando perdemos um pai, uma mãe, um irmão, um parente, um grande amigo. Pessoas que nos deixam marcas extremamente positivas. Pessoas que deixam exemplos, conceitos, condutas a serem seguidas.

Depois de 430 anos no Egito, 230 de pura escravidão se levantou um faraó que não conhecia José, as coisas ficaram difíceis, a escravidão chegou, mas um dia Deus ouviu o clamor do seu povo e com “braços fortes” e a “mão estendida” os fez sair da terra do Egito para peregrinar por um período de tempo em meio ao deserto.

No deserto houve alguns desencontros, esqueceram-se dos milagres de alguns meses antes, o povo estava caminhando em meio ao deserto, mas haviam tido várias conturbações.

O povo tinha presenciado a abertura do mar vermelho, tinha visto Deus fazer milagres com aquelas pragas e todos os grandes milagres do êxodo, trouxe maná, codornizes, coluna de fogo, a nuvem, mesmo assim o povo resolveu um dia murmurar contra Deus.

Por isso vagaram pelo deserto durante 40 anos até que aquela geração morresse. Ao cumprir-se o período dos 40 anos, agora quem herdaria a terra eram os seus filhos. Moisés morre e para sucedê-lo Deus já havia preparado um homem chamado Josué, que significa DEUS É A SALVAÇÃO.

O momento desse chamado se dá justamente no texto que serve de base para essa reflexão Js. 1.1-6.

Deus começa o seu diálogo com Josué dizendo: “Meu servo Moisés é morto; levanta-te…”

Podemos notar que pela forma como Deus se dirige a Josué, o estado de espírito de Josué era de tristeza por causa da morte de Moisés. As experiências do povo de Israel sob o comando de Moisés começaram ainda quando estavam prestes a sair do Egito quando celebraram a Páscoa, ao saírem do Egito e já no caminho do deserto comeram pão sem fermento, presenciou os milagres no deserto, e Josué foi escolhido pelo próprio Moisés como general de Israel na batalha contra os amalequitas que estavam na cidade de Edom e de Petra. Na noite que antecedeu o combate, Moisés passou a noite inteira instruindo o seu jovem sucessor de como deveria combater contra aqueles homens. Era Moisés com as mãos erguidas aos céus orando a Deus e Josué combatendo seus inimigos e Deus dando vitória aqui na terra.

Se você quer vitória comece a levantar suas mãos aos céus, clamando ao Senhor e ele lhe dará vitória aqui na terra!

Moisés foi muito mais do que um líder para Josué. Ele foi um mestre, um amigo, um pai, um irmão, um exemplo a ser seguido. Josué após o período de luto (30 dias) continuava triste, quem sabe um pouco desanimado, sem forças. Quem sabe a pergunta que permeava a mente de Josué não era: “E agora, como será sem Moisés?”

As perdas que sofremos podem exercer o poder de nos paralisar e isso poderia estar acontecendo com Josué.  Mas ao contemplar aquele quadro Deus diz: “Meu servo Moisés é morto…”

É como se Deus estivesse dizendo para Josué:

“Josué meu filho, Moisés foi chamado para uma obra e cumpriu o seu chamado. Eu coloquei diante dele um propósito e ele assumiu esse propósito.”

“Eu tracei um plano, um caminho, e ele cumpriu com o seu papel. Moisés foi chamado para fazer parte da história. Ele foi o escriba e Eu o autor”. “Ele escreveu a sua história”.

“A história de Moisés não termina aqui. Essa história será perpetuada na medida em que a história desse povo continuar a ser escrita.”

“Chegou a hora Josué de você escrever a sua história e a desse povo e dessa forma perpetuar a história que um dia Moisés começou.”

“Chegou a hora de você escrever um novo capítulo na sua história e na história do seu povo.”

“Agora é contigo garoto!”

1. “Levanta-te agora…”

Quando Deus diz “levanta-te”, ele não fala isso à toa. Deus nunca erra o alvo, sempre tem uma direção certa. Ninguém manda alguém se levantar se ele já estiver nessa posição. Isso nos dá a entender que Josué deveria estar sentado, agachado ou deitado, quem sabe pensando como seria agora dali por diante sem a presença do seu mentor.

Muitas vezes nos encontramos não somente sentados, agachados, ou deitados fisicamente, mas nas nossas emoções e espiritualmente.  Entendo por uma inspiração divina que Deus ao mandar Josué se levantar era um levantar não somente físico, mas também emocional e espiritual.

Não fique paralisado por causa de perdas que já fazem parte do passado!

Por isso é que Deus hoje te diz, LEVANTA-TE!

Quando estamos em qualquer outra posição que não seja de pé o nosso campo de visão e o nosso raio de ação é limitado. Só enxergamos e alcançamos aquilo que está bem próximo de nós. Não conseguimos enxergar além da superficialidade, das circunstâncias.

Ao mandar Josué se levantar Deus queria aumentar o campo de visão e o raio de ação dele. Fazê-lo ver mais do que o Egito, o deserto. Fazê-lo ver o horizonte, fazê-lo ver além do Jordão. Porque assim é a nossa vida. Existe o antes e o depois do Jordão.

Antes do Jordão há:

  • O Egito
  • A escravidão
  • Cebolas e pepinos para comer
  • Humilhação
  • Desprezo
  • Frustração
  • Tristeza
  • O deserto
  • O passado
  • Morte

Depois do Jordão há:

  • Canaã
  • Liberdade
  • Leite e mel
  • Exaltação
  • Honra
  • Êxito
  • Alegria
  • O presente e um futuro promissor
  • Vida em abundância

Deus tinha uma terra que manava leite e mel, ou seja, uma terra que supriria toda a necessidade do povo e muito mais, mas eles ficaram olhando somente para o passado, ficaram lembrando que no Egito eles tinham cebolas e pepinos para comer.

Deus tinha muito mais do que cebolas e pepinos para eles, Deus tinha leite e mel. Tinha abundância, fartura, mas eles ficaram olhando somente para o seu passado de migalhas. Meu querido e minha querida, o nosso Deus não é um Deus de migalhas, o nosso Deus é um Deus de abundância.

Enquanto você fica lembrando-se do seu passado e das suas perdas, a tua vida fica paralisada. Deus disse para Josué: “Meu servo Moisés é morto…”, ou seja, o passado ficou para trás Josué… eu tenho coisas novas para o meu povo, Eu tenho novidade de vida para vocês…

Quando Deus entra na nossa vida o que acontece é o que está escrito em II Corintios 5:17 –  Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 
Deus tem novos planos, novas conquistas, novas realizações para cada um de nós!

2. E Deus diz: “… e passa este Jordão…”

Na trajetória do meu relacionamento com Deus tenho aprendido que há momentos da nossa vida que lágrimas não movem o coração de Deus a nosso favor quando se trata de milagre. Como bom Pai, Deus evidentemente não deseja ver um filho triste, mas não são as nossas lágrimas que vão trazer os milagres à existência. O que fará os milagres acontecerem na nossa vida chama-se . Segundo o que diz Hebreus 11.1 A fé é a certeza daquilo que esperamos, e a prova das coisas que não vemos.

Lágrimas não movem o sobrenatural, mas sim a fé, a obediência e a fidelidade a Deus.

O nosso maior desafio não é conquistar a promessa de Deus. Porque a promessa de Deus é uma vitória garantida por Ele mesmo.

  • O que havia entre o deserto e Canaã?
  • O que havia entre um passado de derrota e um presente de vitória?
  • O que havia entre a tristeza e a alegria?

O Jordão!

Deus disse: “… passa este Jordão…”

O milagre não era Canaã porque ela era uma promessa que se tornaria realidade. Ela já existia, já havia sido garantida por Deus. Milagre era ter que passar pelo Rio Jordão. E para passar o Jordão naquele momento teria mesmo que ter muita fé porque era primavera, e nessa época o volume das águas aumentavam, a correnteza era forte a ponto do rio transbordar.

Você está disposto hoje a trocar as suas lágrimas por uma fé inabalável?

O Jordão está esperando por você para passá-lo!

O nosso maior desafio é passar pelos “Jordões” na nossa trajetória. 

Há uma nova vida depois do Jordão. Há esperança depois do Jordão. Há um caminho além do Jordão para ser percorrido. Há uma nova realidade além do Jordão. Há uma história além do Jordão para continuar.

A tua história não termina aqui. A tua história não terminará no meio do Egito ou no meio do deserto. A tua história continuará e será marcada em Canaã. As promessas de Deus para você se tornarão realidade, mas em nome de Jesus Cristo, levanta-te dessa apatia, dessa acomodação, dessa inércia, dessa mornidão espiritual, desse marasmo, desse desânimo, dessa tristeza, dessa dúvida, dessa covardia, dessa fraqueza, LEVANTA-TE E PASSA ESTE JORDÃO PORQUE CANAÃ ESPERA POR VOCÊ!

Depois disso percebemos que Deus vai dar 5 (cinco) garantias para Josué:

1ª.  Todo lugar em que seus pés pisarem Eu lhes darei (Vers.3)

2ª. Ninguém poderá te resistir todos os dias da tua vida (Vers.5)

3ª. Serei contigo (Vers.5)

4ª. Não te deixarei (Vers.5)

5ª. Nem te desampararei (Vers.5)

E só então é que Deus diz: “Esforça-te, e tem bom ânimo…”

Veja que nesse momento de Josué a prioridade de Deus não foi de exigir nada, Deus colocou as suas garantias e depois determinou que ele se esforçasse e tivesse bom ânimo. Por que Deus fez isso?

Conhecedor de nossa natureza humana, Deus sabe que depois de uma grande perda nós ficamos com a nossa auto-estima baixa, nos sentimos fracos, desencorajados a continuar a jornada. Deus então vai trabalhar de dentro para fora, restaurando a nossa estima, a nossa confiança e fortalecendo as nossas emoções. De que maneira? Da mesma forma como fez com Josué:

Garantindo-nos a vitória!

Se depois de Deus lhe garantir a vitória, dizer que ninguem te resistirá, que estará contigo, que não te deixará, e não irá te desamparar, e ainda assim, você não se esforçar e não tiver ânimo, é sinal de que você está muito mal mesmo. 

Mas veja bem, garantia de vitória não significa isenção de termos que lutar.

Como disse uma leitora (Marly Moreira) de nossas mensagens ao ler essa reflexão, podemos ver hoje em dia na vida de muitos crentes uma paralisia diante das dificuldades, das perdas, esperando Deus fazer alguma coisa, esperando Deus levantar um novo “Moisés”. Enquanto o próprio Deus espera que façamos algo para continuar a caminhada. Levantarmos, olharmos, avistarmos além do Jordão o que o nosso Deus tem preparado para os seus filhos e a sua igreja.

Não devemos servir a Deus por aquilo que possa nos dar, mas por aquilo que Ele é para nós. Não importa se algumas coisas não acontecerão e quando penso nisso me lembro do Apóstolo Paulo quando disse em I Coríntios 15:19 – Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

O mais importante é nunca parar de lutar porque certamente nenhum dos nossos sonhos deixará de se realizar na gloria com o Senhor.

A sua descendência colherá os frutos da sua fé, do seu esforço e do seu ânimo. Deus disse: tú farás este povo herdar a terra que, jurei a seus pais.

Comece a olhar a sua vida a partir de hoje ALÉM DO JORDÃO você entrará na sua Canaã, tú e toda a sua familia para a gloria de Deus.

Nele, por Ele, para Ele.

Pr. André Lepre

Deixe sua opinião