Os torcedores chamados ‘barra-bravas’, frequentemente associados a atos de violência, são tema de discussão constante na Argentina. Mas isso não impede que também suscitem declarações inusitadas, como a do vice-presidente do Boca Juniors, Juan Carlos Crespi. Em entrevista à versão argentina do programa CQC, o cartola fez uma relação, no mínimo, interessante entre religião e torcida.

“Acredito que Jesus Cristo tinha barra-bravas, os apóstolos eram os barra-bravas que pregavam a religião cristã“, afirmou.

As declarações de Crespi foram veiculadas pelo programa pela primeira vez em junho, mas voltaram a serem exibidas na quarta-feira, em reportagem que discutiu o comportamento violento dos torcedores do Boca Juniors no clássico contra o River Plate, no último domingo, que terminou em 2 a 2.

Curiosamente, o vice ainda afirmou na mesma ocasião que o Boca não tem esse tipo de torcedor nos estádios.

“É um problema que tem que ser tratado pelo Estado. Não conheço nenhum barra-brava, só conheço a torcida.”

Você precisa rever esse tipo de definição. Para mim, [barra-bravas] são desordeiros, que não deixam ninguém em paz. Não acho que o Boca tenha esse tipo de torcedor“, arrematou.

O que é Barra-Bravas?

 Barra brava é um tipo de movimento de torcedores de esportes muito popular na América Latina, conhecida por incentivar suas equipes com cantos intermináveis e fogos de artifício. Costumam localizar-se nas arquibancadas e atrás dos gols, acompanhando as partidas sempre de pé. Ao contrário das torcidas organizadas não possuem uniformes próprios, estrutura hierárquica e muitas vezes nem mesmo associados. As barra bravas na Argentina são muito tradicionais, mas também consideradas perigosas.Contudo, as mesmas são responsáveis por espetáculos de violência e também do narcotráfico, afetando socialmente toda a Argentina. Desde o primeiro assassinato ocorrido em 1939 até o princípio de 2000, foram registradas 138 vítimas fatais e uma enorme quantidade de feridos em confrontos entre as barra bravas. As mais fortes são La Barra Del Rojo (do Independiente), La Hinchada Más Popular (do Newell’s Old Boys), La 12 (do Boca Juniors), Los Borrachos del Tablón (do River Plate), Los Guerreros (do Rosario Central) , La Gloriosa (do San Lorenzo de Almagro)La Guardia Imperial (do Racing Club). Na história das barra bravas as que mais se destacaram foram: a Los Diablos Rojos com seu capo (líder) “Gallego” (anos 80 e 90), La 12 com José “Abuelo” Barrita (anos 80 e 90) e a de Chacarita Juniors com os capos “Muchinga” e Roque (anos 80 e 90).

Portal Padom

Com informações de Goal e Wikipêdia 

Deixe sua opinião