Há uma afronta moral nos Estados Unidos hoje por causa de uma lei recentemente aprovada em Nova York que permite que os profissionais médicos realizem abortos até o nascimento, por praticamente qualquer motivo, incluindo a saúde mental da mãe. A nova lei é chamada de “Lei de Saúde Reprodutiva”, embora não tenha nada a ver com saúde.

Como o Dr. James Dobson escreveu: 
 
Em suma, a legislatura de Nova York legalizou o assassinato de pequenos seres humanos desde a concepção até nove meses de gravidez. Mas agora, o assassinato continuará mesmo após o nascimento. Se a determinação de matar uma criança não tem sucesso e se ele ou ela de alguma forma entrar na sala de parto com vida, um atendente ou um faxineiro pode ficar de braços cruzados enquanto a vida se esvai em uma mesa de porcelana.

Como já foi dito, isso não é nada menos que infanticídio, claro e simples. Como cristão, acredito no que a Bíblia ensina, que a vida começa na concepção. O rei Davi escreve nos Salmos:

“Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza. Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.”Salmos 139:13-16

Isso é extremamente pessoal para mim. Eu fui concebido fora do casamento durante um tempo em que minha mãe alcoólatra teve um caso com um homem entre um dos seus sete casamentos. Eu poderia facilmente ter sido outra estatística de aborto, mas pela graça de Deus, minha mãe levou-me a termo.

Então, considerando essa tendência com essas novas contas, eu tuitei esta declaração: 

Estamos seriamente debatendo se não há problema em abortar um bebê quando a criança já está no canal do parto? As contas de NY, VA e RI são vis, negando a verdade que todos nós somos feitos de forma maravilhosa e maravilhosa, unidos no ventre de nossa mãe, feito à imagem de Deus. Devemos sobreviver à vida.” 
 
Fiquei surpreso com a resposta que recebi de uma mulher chamada Crystal Holder, e acho que você também deveria ler o que ela disse: 
 
Greg, foi a sua voz falando a Palavra de Deus que eu ouvia todas as manhãs no rádio enquanto dirigia para o meu trabalho na Planned Parenthood, onde eu era o gerente da Planned Parenthood em Winston Salem, Carolina do Norte. A palavra é o que me deu coragem para ir embora“.

Temos um programa de rádio diário que é ouvido em todo o país chamado “Um Novo Começo” onde ensino a Bíblia e digo às pessoas como entrar em um relacionamento com Jesus Cristo. Fiquei tão intrigado com este tweet incrível que entramos em contato com Crystal para obter o resto da história. Aqui está a resposta dela:
 
Quando comecei a ouvir Um Novo Começou, cheguei a conhecer Jesus e verdadeiramente entender a magnitude do amor de Deus. Eu aprendi mais com o programa do que todos os meus anos na igreja. Eu ouvia Greg todos os dias que estava no Planned. Eu trabalhei lá por quase um ano, foi um certo sermão que me assustou, e foi quando ele bateu mais forte do que havia batido antes Um dia, enquanto eu contava as peças de um bebê desmembrado, eu pensei sobre o sermão de Greg Se Jesus voltasse então, e eu estivesse naquela sala do POC, Ele me deixaria para trás?

Crystal está se referindo a uma mensagem que eu dei sobre o retorno iminente de Cristo, onde eu perguntei se Jesus voltaria hoje, haveria alguma coisa que você está fazendo que você teria vergonha? Se assim for, pare de fazer isso, porque Cristo poderia voltar a qualquer momento. Precisamos estar assistindo e esperando.

Desde então, Crystal deixou o emprego na Planned Parenthood e agora trabalha para salvar a vida de bebês como voluntária pró-vida. Crystal agora compartilha essa história com todos que ela conhece. Nós servimos um Deus de segundas chances!

Tragicamente, a taxa de suicídio aumenta em mulheres que tiveram abortos, e a taxa de depressão também é maior. De fato, um estudo publicado no British Journal of Psychology descobriu que as mulheres que tiveram um aborto experimentam um aumento de 81% no risco de problemas de saúde mental. Ao contrário do que muitos acreditam, não é um procedimento “seguro”. 

Toda criança deve ter a chance de viver, ponto final. Isso é o que Crystal percebeu. Minha esperança é que, das cerca de um milhão de mães que se espera que abortem neste país no próximo ano, algumas pessoas possam ler essas palavras e decidir dar ao próprio filho um futuro repleto dos planos e propósitos de Deus. 

por: Pastor Greg Laurie
traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Deixe sua opinião