O Presidente Michel Temer, esteve nesta quinta-feira (31) em Brasília, participando da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil, (CONAMAD), onde foi recebido sob aplausos por dezenas de pastores e pelo Presidente Vitalício da instituição o Bispo Primaz Manoel Ferreira.

“Aqui você [Temer] só vai ser aplaudido, porque aqui aprendemos a respeitar as autoridades constituídas. Ele [Temer] é o número 1 desse país, acima dele só tem Deus e a nação, que é o povo”, disse o bispo no momento em que recebiam o presidente.

O evento que aconteceu na lindíssima Catedral Baleia, onde o presidente fez o seu discurso costumeiro, dando “graças a Deus” pelo encerramento da greve dos caminhoneiros e afirmou que ele foi “iluminado” por Deus para resolver a crise.

Temer, em seu discurso explicou que durante os 10 dias de paralisações dos caminhoneiros, não houve nenhuma sequer atitude de violência vinda por parte do Estado, no entanto ressaltou que a única morte registrada durante a paralização ocorreu por uma atividade política.

A única morte que ocorreu, lamento dizer, foi de uma atividade política de alguém que atirou um tijolo em um caminhão, e acabou atingindo a cabeça de um caminhoneiro, mas não houve nada em oito, nove, dez dias. Nós estamos saindo dela com a maior tranquilidade.”

Michel Temer, fez questão de frisar bem para os presentes, que o fim da greve dos caminhoneiros ocorreu por meio do diálogo e sem o uso da força. “Graças a Deus, estamos encerrando essa greve dos caminhoneiros, por meio de uma atitude minha que, muitas vezes, tem sido criticada, que é o diálogo…Eu não uso a força, e nem mesmo a autoridade. A força, jamais. Até mesmo a autoridade, só depois de empreender o diálogo.”, disse.

Acompanhado pelo pré-candidato do MDB, Henrique Meirelles, Michel Temer disse que mantem em sua mesa em Brasília, dois livros, a Constituição Federal e a Bíblia Sagrada.

“Eu confesso que, nos poucos momentos que eu tenho livre na minha sala, eu abro um pouco a Constituição, quando tenho dúvida de natureza organizativa, mas abro frequentemente a Bíblia. Aliás, deixo aberta. Mas de vez em quando folheio porque dizem ‘quando você tiver uma dificuldade, veja na Bíblia que você terá um caminho’. E não foram poucas as vezes que eu abri a Bíblia, assim, sem nenhuma intenção a não ser aquela do tipo ‘Deus, me dê um caminho’. Quando abria numa folha qualquer, numa página qualquer, eu lia um Salmo, um Provérbio, o que fosse e lá eu encontrava o caminho para aquele dia”, disse.

O presidente ainda confessou dizendo que “os dias na Presidência não são dias fáceis, especialmente no momento em que o País perdeu um pouco a noção da cerimônia, da solenidade, da liturgia, do respeito, da educação, que é uma coisa importantíssima”.

Temer relatou ainda: “Que isso sirva de exemplo para o nosso país, a força do diálogo. Depois de dialogar, chamei as Forças Armadas. Fui iluminado por Deus, que disse vai lá no templo da Assembleia comemorar a pacificação do país. Quero pedir que todos vocês crendo como creio na força do diálogo e da palavra, que possam levar isso a todos os templos, se puderem levar uma palavra de paz, de harmonia, respeito mútuo, culto da família e da unidade”.

No final de seu discurso, Temer lembrou que o Brasil está entrando no ciclo das eleições, por isso ele pediu aos fiéis que não se baseiem em nomes, mas em projetos de governo. Ele encerrou pedindo orações: “Eu peço que orem por mim e orem pelo governo. Orando por mim e pelo governo, estarão orando pelo País.”

Fotos de Michel Temer com presidentes da Assembleia de Deus do Brasil na CONAMAD

Portal Padom

Deixe sua opinião