Ele era um evangelista corajoso em um canto da obscuridade espiritual da Ásia Central, ele proclamava publicamente com coragem e ousadia, o Evangelho de Cristo.

taxista-cristão-assassinadoQuando ele foi assassinado por um extremista, um grupo islâmico tratou o assassino como um herói, informa Mark Ellis, Correspondente Sênior da ASSIST News Service.

Masud era um taxista e um evangelista ousado, que compartilhou o evangelho publicamente no mercado da cidade. “Multidões irritadas se reuniram em torno dele como Jesus, mas ninguém pôs a mão nele, porque não era o seu tempo“, diz John Harper, um representante da Batista do Sul em um relatório Baptist Press.

Mas um dia Masud foi confrontado por um extremista que gritava “Allahu Akbar!” O homem começou a esvaziar uma AK-47 no corpo de Masud, em plena luz do dia. Masud morreu instantaneamente devido aos múltiplos ferimentos, segundo a Bautista Press.

“Um grupo islâmico comprou para a família do atirador uma grande casa na cidade e deu-lhes carros e dinheiro – ele era um herói”, diz Harper.

A morte de Masud deixou um vazio na pequena comunidade cristã na cidade. Os crentes se esconderam e muitos mantiveram sua fé escondida, inclusive de seu próprio cônjuge. Mas há um crente com a vontade de caminhar os passos de Masud, em levar a Palavra de Deus a todos,  seu parceiro de ministério, Ahsan.

Ahsan foi imediatamente atacado pelos mesmos homens que mataram Masud, mas isso não o impediu de compartilhar o Evangelho.

Portal Padom

Deixe sua opinião