JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

O Boletim dos Cientistas Atômicos, anunciou que a posição do Relógio do Apocalipse permanece inalterada desde de 2020, quando seus ponteiros estavam tão próximos como nunca de uma catastrófica “meia-noite”, apontando para 100 segundos para o fim do mundo.

Segundo o Boletim da organização sem fins lucrativos, cuja assinatura Doomsday Clock (Relógio do Juízo Final) tem estimado – em termos rígidos de “minutos para a meia-noite” – o quão perto o mundo está do apocalipse desde 1947.

 “A sabedoria coletiva de nosso grupo é que é uma época extremamente perigosa com alguns pontos brilhantes incrivelmente importantes”, disse Rachel Bronson, diretora executiva e editora do boletim, na quarta-feira.

O relógio permanece definido em “100 segundos para a meia-noite” – inalterado desde o ano passado, quando seus ponteiros foram movidos o mais próximo possível da meia-noite.  Na época, o boletim informava que a mudança deveria refletir o aumento das tensões e a deterioração da comunicação entre os Estados Unidos e outros países, incluindo a Rússia e o Irã.

Este ano, os cientistas apontaram para a resposta lamentável dos líderes mundiais à pandemia do coronavírus, a erosão da fé do público na ciência e nas instituições governamentais, a aceleração dos programas de armas nucleares e a ameaça persistente da mudança climática.

 O tempo está se aproximando da meia-noite desde 2018, quando o relógio foi definido em dois minutos para 12h.

A última vez que foi tão perto foi em 1953, depois que os Estados Unidos e a União Soviética testaram suas primeiras armas termonucleares.

 “No próximo ano, como sempre, esperamos afastar os ponteiros do Relógio do Apocalipse da meia-noite”, disse Bronson.

O Conselho de Ciência e Segurança do boletim, que é composto por especialistas nucleares e climáticos e outros cientistas, se reúne duas vezes por ano para discutir como os eventos mundiais devem ditar onde os ponteiros do relógio cairão.

Eles discutem se a humanidade está mais segura ou em maior risco do que estava na mesma época no ano passado ou em comparação com 75 anos atrás, disse o Dr. Bronson.

Mesmo que os cientistas decidam que horas serão mostradas no relógio, ele não é um instrumento científico ou mesmo físico, mas sim simbólico.

 E o alerta anual gerou algum ceticismo.

 “Se estou sendo caridoso, digo, OK, eles são parte de um esforço mais amplo para concentrar a atenção coletiva em questões urgentes ou em coisas de longo prazo que podem ter consequências catastróficas, como a mudança climática”, disse Andrew Latham, professor  de Relações Internacionais no Macalester College em St. Paul, Minnesota.

“Mas é como o menino que gritou lobo”, disse ele. “Depois de um certo período de tempo, não vamos prestar atenção.”

O conselho já projetou otimismo sobre o futuro do mundo antes. Em 1990, com o fim da Guerra Fria, o relógio foi acertado 10 minutos para a meia-noite.  No ano seguinte, foram 17 minutos inteiros de distância, a humanidade mais distante da aniquilação projetada desde a introdução do Relógio do Juízo Final.

(Como o relógio não é atualizado em tempo real, algumas mudanças geopolíticas acabaram e foram concluídas muito rapidamente para serem registradas. Em 1962, por exemplo, seus ponteiros não se moveram em resposta à crise dos mísseis cubanos porque “muito pouco se sabia no  tempo sobre as circunstâncias do impasse ou qual seria o resultado”, explica o boletim em seu site.)

O conselho disse que este ano há motivos para ter esperança, apontando para a decisão do presidente Biden de voltar ao Acordo de Paris e sua intenção de voltar ao acordo nuclear com o Irã.

Na terça-feira, Biden e o presidente Vladimir V. Putin da Rússia evitaram uma nova corrida armamentista quando concordaram formalmente em prorrogar o último tratado de armas nucleares entre seus países.

 “A eleição de um presidente americano que reconhece as mudanças climáticas como uma ameaça profunda e apóia a cooperação internacional e as políticas baseadas na ciência coloca o mundo em uma posição muito melhor para enfrentar os problemas globais”, disse Susan Solomon, professora de estudos ambientais da M.I.T.  e um membro do conselho científico do boletim.

Jerry Brown, o ex-governador da Califórnia que é o presidente executivo do boletim, disse que os líderes políticos não conseguiram transmitir ao público a real ameaça representada pelas armas nucleares.

 “É hora de cair na real e parar de construir armas nucleares e encontrar uma maneira de eliminá-las do mundo inteiro”, disse Brown, um democrata, na quarta-feira.

 O Sr. Brown acrescentou: “Faltam 100 segundos para a meia-noite. Acorde.”

 Apesar de tais proclamações, o público não deve entrar em pânico, disse Latham.

O tempo mostrado no Relógio do Apocalipse não se baseia em um algoritmo que analisa dados objetivos, disse ele, mas nas preocupações de pessoas inteligentes e bem-intencionadas usando as informações disponíveis e consultando umas às outras.

 O relógio é “uma relíquia de uma era passada, um artefato de uma mentalidade do Armagedom a qualquer minuto”, disse Latham.

 Ainda assim, acrescentou ele, não há razão para ignorá-lo.

 “Uma vez por ano, isso nos lembra que existem alguns grandes perigos por aí”, disse ele.  “Eles são todos feitos pelo homem, e isso significa que talvez eles possam ser desfeitos pelo homem.”

Relógio do Apocalipse e as Previsões falhas

O ser humano tem a necessidade de tentar prever o que acontecerá no futuro e quando, de fato, será o fim da humanidade. Estudos são feitos, avisos emitidos e rumores sondam o planeta alertando sobre o fim.

A colunista Núbia Siqueira destaca que até mesmo pessoas descrentes ficam alerta ao que tem acontecido com o planeta.

“É claro que o Relógio do Apocalipse é uma metáfora. Mas vemos, através dele, que até mesmo pessoas que não conhecem ou não creem na Palavra de Deus, percebem o momento crítico que o mundo enfrenta”, disse.

Além disso, ela ainda pontuou que muitos cristãos têm ignorado os sinais. “Como pode pessoas que se dizem de Deus estarem a perder tempo com futilidades? Como pode alguém que serve a Deus, pensar em objetivos pessoais e vaidosos enquanto o mundo precisa urgente da mensagem da salvação?”, indagou. 

Por isso, para ela, o problema da atualidade é, sobretudo, “a pouca sede de Deus” e o mundo precisa estar em alerta para o fim. 

“Se o Relógio do Apocalipse daqui é uma alegoria, o relógio do céu é real, e os seus ponteiros marcam de forma exata o pouco tempo que o mundo tem para se voltar para o Todo-Poderoso. Esse tempo deve ser usado para o arrependimento, para uma busca sincera e intensa de comunhão com o Altíssimo”, acrescentou.

Ninguém sabe o dia e a hora

O fato é que ninguém sabe o dia e a hora em que o Senhor Jesus virá buscar sua Igreja e iniciará a ascensão do Anticristo e o fim dos tempos. Contudo, quando esteve na Terra, o Senhor Jesus alertou sobre o fim. Veja abaixo:

“Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.” Mateus 25:13

Apesar de ter dito que não saberemos o dia em que chegaria o fim, o Senhor Jesus deixou claro quais são os sinais para que todos estejam alertas e preparados. Veja-os em Mateus 24:3-13.

Prepare-se

Por não saber o dia em que o fim chegará, é fundamental que o ser humano esteja preparado para o momento em que o Senhor Jesus voltará e o fim do mundo acontecerá.

No entanto, é preciso que o ser humano saiba quais serão os sinais e como se preparar para encontrar o Senhor Jesus em Sua volta.

Deixe sua opinião

JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗