Norte-americana famosa por ter tido óctuplos em 2009 choca os Estados Unidos ao declarar que odeia bebês e que preferia não ter tido filhos
Filhos dão muito trabalho e, muitas vezes, podem acabar com a paciência de qualquer um. Mas a norte-americana Nadya Suleman, de 36 anos, que recorreu em 2009 à fertilização in vitro para gerar óctuplos (8 gêmeos), deu um mau exemplo de maternidade e sinais de desequilíbrio emocional com uma declaração que chocou os Estados Unidos. “Eu odeio bebês, eles me dão nojo’’, disse em entrevista à revista “InTouch”, ao falar sobre seus próprios filhos, completando que preferia não tê-los gerado. Nadya disse ainda que seus seis filhos mais velhos – ao todo ela tem 14 herdeiros – “estão crescendo como animais”, pois não “tem tempo de educá-los”. Na mesma entrevista, completou que se refugia no banheiro para chorar e ter um pouco de paz. Porém, depois de causar muita polêmica e virar alvo de duras críticas, ela negou ter dado tal entrevista.
“Ao que parece, a rotina está adoecendo esta mãe. Ela está estafada e precisa tanto de acompanhamento psicológico quanto de suporte social para criar estas crianças, pois não está dando conta. Só esta declaração já é suficiente para notar que ela está passando por um sofrimento impactante e que já está refletindo nos filhos, causando sofrimento a eles também”, analisa Pompeia Villachan-Lyra, professora de psicologia da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), especialista em relações de apego. A possibilidade de depressão pós-parto está descartada. “Se fosse, os sinais apareceriam em até 2 meses após o parto”, explica Pompeia. As crianças mais novas estão com 1 ano e meio atualmente. “Se criar dois filhos nestes tempos já é difícil, imagine 14”, completa a professora.
Mesmo avisada sobre os riscos da gestação de óctuplos, Nadya quis seguir em frente com a gravidez. “Pelo que acompanhei do caso, ela procurava desesperadamente pela fama. Engravidar de oito era uma maneira de ela aparecer na mídia, não um desejo genuíno de criar essas oito crianças. Agora, sem dinheiro e sem fama, está arrependida”, diz o psicólogo familiar Diógenes Lima.
Desde sua aparição na mídia, Nadya dá sinais de desvios psicológicos: ao engravidar dos óctuplos, solteira, estava desempregada e vivia com recursos da assistência social criando outras seis crianças. Fez diversas plásticas para ficar parecida com a atriz Angelina Jolie. Logo que os bebês nasceram, o relações-públicas de Nadya pediu demissão alegando “dificuldades de convivência” e chegou a dizer que ela era louca. Até a mãe de Nadya diz que a filha faz tudo pela fama.
Antes do último feriado nos Estados Unidos, 4 de julho, Nadya foi vista com todos os 14 filhos em uma praia em Los Angeles, posando com rosto sereno e feliz, numa clara tentativa de amenizar a péssima imagem que conquistou junto à opinião pública após a última entrevista. “Gastei US$ 28 mil (R$ 43,5 mil) no mês passado. Minha conta está com US$ 300 (R$ 466) negativos. Não sei o que vou fazer”, declarou.
Em 2009, Nadya contou com campanhas para arrecadar donativos e com a ajuda dos pais para conseguir alimentar e criar todos os filhos. Ela apostava com os lucros da fama, acreditando que os reality shows dos quais iria participar pagariam suas contas, mas todos os programas que ela faria foram engavetados.
“O que ela fez foi uma grande loucura. Ela precisará de ajuda ou perderá a guarda dos filhos, por problemas de depressão ou por abandoná-los”, acredita Diógenes.

Folha Universal / Portal Padom

Deixe sua opinião