No início cada ano, muitas igrejas evangélicas, das mais diversas denominações têm o costume de fazer uma programação de cultos diferente do habitual, tais como  cultos denominados com os mais diversos nomes como “Janeiro Profético” ou “12 Cultos Proféticos para 12 meses de bençãos”, que tem como objetivo fazer com ele seus membros passem a buscar mais a Deus para tem um ano de bençãos.

No entanto, o polêmico pastor evangélico Renato Vargens, que é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, não comunga com essa idéia, chegando a comparar esses cultos com as práticas de magia.

Para Renato, esse tipo de atividade que tem se espalhado nas igrejas, é fundamentado em um evangelho humanista, sendo este também fruto de um misticismo reinante em boa parte das igrejas.

Digo mais: geralmente os pastores destas comunidades em virtude de uma cosmovisão deturpada confundem “religião” com magia. Ora, no cristianismo os homens se submetem a Deus, no entanto, na magia, eles tentam manipular Deus.”, escreveu Vargens em um post no Facebook.

Para ele, as igrejas que praticam esses cultos proféticos no início do ano, estão tentando determinar a Deus que seus desejos, vontades e decisões devem ser atendidas. Renato termina seu post dizendo: “Oração, não é decidir o que Deus deve nos dar ou fazer por nós, oração é quebrantar-se diante do Eterno, é prostrar-se diante dele, reconhecendo nossa finitude bem como desejo que sua vontade que é boa, perfeita e agradável se cumpra em nossa vida.”

Veja abaixo na íntegra o post do pastor Renato Vargens sobre cultos proféticos no início do ano

12 CULTOS PROFÉTICOS PARA 12 MESES DE BENÇÃOS, A NOVA MODA EVANGÉLICA 

No mês de janeiro virou moda entre algumas igrejas a organização de doze cultos proféticos para doze meses de bênçãos. Penso que esse tipo de atividade cúltica, além de fundamentar-se num evangelho humanista é fruto do misticismo reinante em boa parte das igrejas. Digo mais: geralmente os pastores destas comunidades em virtude de uma cosmovisão deturpada confundem “religião” com magia. Ora, no cristianismo os homens se submetem a Deus, no entanto, na magia, eles tentam manipular Deus. Portanto, quando algumas igrejas celebram cultos proféticos é como se tivessem tentando determinar ao Eterno que seus desejos, vontades e decisões devem ser atendidas.

Oração, não é decidir o que Deus deve nos dar ou fazer por nós, oração é quebrantar-se diante do Eterno, é prostrar-se diante dele, reconhecendo nossa finitude bem como desejo que sua vontade que é boa, perfeita e agradável se cumpra em nossa vida.

Renato Vargens

O que você acha desse tipo de campanha no início de cada ano? Sua igreja tem o costume? Deixe nos comentários abaixo sua opinião.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia