nazista-cruzUm padre da cidade de Vigevano, na Itália, chocou os fiéis ao recebê-los na igreja com uma pulseira que possuía a cruz suástica, famoso símbolo nazista. Um feito “inadmissível”, segundo o partido Refundação Comunista, que pediu que o sacerdote fosse expulso, segundo informação do jornal El País.

Angelo Idi, de 51 anos, defendeu-se dizendo que, sendo a Itália um país livre, ele também é livre de expressar as suas opiniões, tendo optado por fazê-lo exibindo a cruz de Hitler.

Tendo confirmado que é de extrema-direita, o clérigo mostrou-se muito orgulhoso de o ser, afirmando que se sente como “porta-voz” das Brigadas Negras, composta por jovens combatentes da República (fascista) de Saló.

Ao ter conhecimento do caso, o porta-voz do Partido Refundação Comunista, Roberto Guarcho, pediu que Idi seja expulso do sacerdócio, já que não aceita que alguém da igreja partilhe de ideias do nazismo.

Fonte: Arca Universal e padom.com

Deixe sua opinião