Em 11 de setembro de 2001, assistimos em choque e horror enquanto o pior ataque terrorista da história dos Estados Unidos se desenrolava diante de nossos olhos.

Terroristas da Al-Qaeda sequestraram quatro aviões de passageiros e os direcionaram a edifícios que representavam o poder e a autoridade da América: as Torres Gêmeas do World Trade Center na cidade de Nova York e o Pentágono em Washington, DC

Quase 3.000 pessoas perderam a vida naquele dia.

As imagens surreais de aviões batendo em prédios e no solo, de pessoas fugindo desesperadamente para salvar suas vidas, de fumaça densa e poeira subindo das ruínas das torres desabadas estão gravadas para sempre em nossas mentes.

A dor de 11 de setembro sempre estará conosco – um lembrete devastador de que vivemos em um mundo decaído marcado pelo pecado, ódio e violência. Meus pensamentos e orações estão com as famílias que estão sofrendo.

Após aquele dia terrível, lutamos com a velha questão: Por que Deus permite tanto mal no mundo? Vinte anos depois, continuamos a perguntar: Onde estava Deus em 11 de setembro de 2001?

Eu acredito que Ele estava onde sempre esteve: conosco.

Deus não criou um mundo cheio de sofrimento e maldade. Seu mundo era perfeito, um paraíso. Gênesis 1:31 nos diz: “E Deus viu tudo o que tinha feito, e eis que era muito bom. “ Deus nos criou para amá-lo e servi-lo e, por meio de Jesus, ordenou que amássemos uns aos outros como amamos a nós mesmos. Mas Ele também nos deu livre arbítrio porque o amor é uma escolha.

E em nossa carne, pegamos as liberdades que Deus nos deu e nos afastamos Dele. A Bíblia nos diz que o pecado e o mal não vêm de Deus, mas de Satanás, e eles entraram neste mundo quando Satanás enganou Adão e Eva no Jardim do Éden.

Leia também!  Filme Online - Vôo 93, o único avião que não atigiu o alvo pretendido em 11/09/01 - assista

Nosso mundo está enfrentando a desordem que é inerente ao nosso universo decaído. Vemos essa desordem em nosso próprio sofrimento e dor, e naqueles eventos aparentemente aleatórios que causam tanta angústia na vida. No mês passado, 13 soldados americanos foram mortos em um ataque aos portões do Aeroporto Internacional Hamid Karzai em Cabul, Afeganistão – outro lembrete marcante de que o mal ainda nos atormenta hoje, como aconteceu em 11 de setembro de 2001.

No entanto, sabemos que Deus não perdeu a batalha para Satanás. João 1:5 nos diz: “A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a venceram”. De acordo com Mateus 25:41, Deus um dia banirá todo o mal “no fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”.

Ninguém está imune ao sofrimento. Mas em João 16:33, Jesus nos dá esta promessa: “Eu vos disse estas coisas, para que em mim tenhais paz”.

Essa promessa deve nos motivar a fazer algo a respeito da injustiça e da dor que tanto permeiam este mundo. Infelizmente, muitas pessoas – sim, até mesmo cristãos – ficam à margem e não fazem nada. Às vezes me pergunto se esquecemos como chorar.

Acho que uma coisa que está faltando perceptivelmente entre as pessoas hoje é um profundo senso de compaixão e empatia pelos feridos. Uma razão para isso, acredito, é que somos tão inundados pela mídia com notícias de sofrimento que é fácil começar a desligá-lo.

Não devemos esquecer que as pessoas que sofrem são pessoas reais, quer tenham perdido entes queridos em 11 de setembro de 2001, carreguem as cicatrizes visíveis e invisíveis da guerra ou sejam afegãos presos sob o domínio do Taleban. Precisamos orar e pedir a Deus que nos mostre onde podemos ajudar a aliviar o sofrimento neste mundo.

Leia também!  Wuhan onde surgiu o Covid-19 faz festa de ano novo, enquanto o mundo fica fechado

Há momentos na vida em que temos dificuldade em entender “por quê”. Penso em um amigo que perdi um filho em um trágico acidente. Penso naqueles que estão doentes e famintos, com pouca esperança de alívio.

No entanto, outros que consideramos menos inocentes parecem prosperar.

É nesses momentos em que nos perguntamos “por quê” que muitas vezes podemos nos sentir desanimados ou desiludidos com nossa fé. “Se Deus é bom”, perguntamos, “então por que permitiria que pessoas inocentes sofressem assim?” Esta é uma pergunta razoável provocada por emoções muito reais. E a verdade é que existe uma resposta – mas pode não ser aquela que gostamos de ouvir.

O mundo caiu. Por causa disso, haverá sofrimento até que Cristo volte. E muitas vezes, outros que parecem menos merecedores irão prosperar. O mundo será feito de injustiça até que o Justificador volte para trazer de volta a ordem.

Então o que nós podemos fazer?

Nós perseveramos. Permitimos que o sofrimento e as adversidades criem em nós a sede do dia em que todo sofrimento acabará. Esperamos em antecipação por Cristo para inaugurar Seu Reino na Terra. Nós esperamos – porque a ajuda está chegando. Nesse ínterim, fornecemos todo o conforto que podemos aos nossos vizinhos feridos por causa da esperança que temos em Cristo.

por:  Dr. Jack Graham

traduzido e adaptado por: Pb. Thiago D. F. Lima

Deixe sua opinião