Em 1 Pedro 1:22, somos informados: “Visto que suas almas foram purificadas pela obediência à verdade, através do Espírito, para um genuíno amor fraterno, amem-se profundamente com um coração puro”.

Como cristãos, gostamos de pensar em nós mesmos como pessoas amáveis. Tentamos fazer o bem e ter pensamentos de caridade, especialmente nesta época do ano. No entanto, quando se trata de viver de acordo com o padrão estabelecido em 1 Pedro, eu diria que é mais fácil falar do que fazer.

Mesmo quando sorrimos e doamos dinheiro a uma instituição de caridade, sabemos, se formos honestos, que existem pessoas que simplesmente nos incomodam, nos machucam ou tornam nossa vida desconfortável. Pessoas com as quais desejaríamos viver o mais longe possível.

Mas – e se você ler o versículo de hoje, acho que sabe para onde isso está indo – isso não será possível se desejarmos ter um relacionamento com Deus.

Quando adoramos um Deus encarnado, aprendemos a nos humilhar o suficiente para amar um ao outro.

A qualidade de nossa vida espiritual não é melhor do que a qualidade de nossos relacionamentos humanos, e a maneira como nos conectamos com as pessoas é uma imagem de nossa conexão com Deus.

Deus é amor e, ao conhecê-Lo, não podemos escapar das pessoas que Ele coloca em nossas vidas.

Parte de nascer de novo no Reino de Deus é aprender a se relacionar com as pessoas. Pedro correlaciona “obedecer a verdade” não a regras, regulamentos e rituais da igreja, mas “amar um ao outro, profundamente, de coração”.

“Sua vida pode ser moralmente correta e você pode ser um bom frequentador da igreja com toda a teologia certa, mas se o resultado não for uma consciência limpa e livre transbordando de puro amor, então algo está errado”, escreve Mike Mason.

Eu prego o evangelho toda semana. Orei pelos enfermos e oficiei casamentos e funerais de pessoas que conheço. Às vezes encontro pessoas complicadas e difíceis. É quando eu preciso pedir a Deus que me encha com Seu Espírito, que me ajude a ver as pessoas através de Seus olhos, a superar meus próprios preconceitos e problemas. Eu preciso me humilhar o suficiente para amar.

Penso nas palavras de Pedro – que viver na verdade resulta em amor sincero – e sei que há esperança para o meu coração porque Deus escolheu vir à Terra e revelar Seu amor para nós.

Essa é a alegria desta temporada. Essa é a alegria que podemos experimentar ao nos prepararmos para o Ano Novo e deixar nosso amor transbordar do poço do amor de Deus.

por: Pr. Ray Bentley

traduzido e adaptado por: Pb. Thiago D. F. de Lima

Deixe sua opinião