Um museu cristão em Petersburg, que afirma que os dinossauros viveram junto com os humanos há 5 mil anos, irá mostrar em uma exposição que inclui o esqueleto fossilizado de um Allosaurus de aproximadamente 9 metros de cumprimento.

dinossauro-museu-cristão-noéO ministério cristão Answers in Genesis (De Regresso a Gênesis), dono do Museu da Criação, diz em sua pagina que cerca de 50% do esqueleto do Allosaurus, parecido com o Tiranossauro rex, foi recuperado quando foram encontrados os ossos no Colorado há mais de uma década.

O ministério afirma que os dinossauros morreram durante a grande inundação que aconteceu cerca de 4.300 anos. Já os cientistas dizem que os últimos dinossauros viveram na Terra há mais de 60 milhões de anos.

O fundador do Museu da Criação, Ken Ham diz que a nova exposição “nos ajudará a defender o livro de Genesis e expor os problemas científicos com a evolução“. A nova exposição quer demonstrar que os dinossauros viveram junto aos humanos há milhares de anos e foram extintos durante o dilúvio narrado nas páginas da Bíblia Sagrada.

O Ministério cristão explica que cerca de 50% dos ossos do esqueleto foram recuperados em uma escavação no Estado do Colorado, há mais de uma década atrás. “Os evolucionistas usam os dinossauros para atrair as crianças e, sobretudo, para promover a sua visão do mundo”, disse Ham. “Nosso museu utiliza dinossauros para ajudar a contar a história real, de acordo com a Bíblia.” O esqueleto de cientistas cristãos recebeu o nome de “Ebenezer” termo bíblico de “gratidão a Deus.”

O Museu Geológico dos EUA argumentam que o Allosaurus era o carnívoro mais comum na América do Norte durante o período Jurássico, cerca de 150 milhões de anos atrás.

Leia também!  Sacerdotes católicos lançam revista dedicada ao exorcismo

De acordo com o Huffington Post, o presidente da Sociedade Paleontológica de  Kentucky, Daniel Phelps disse em um comunicado quinta-feira que o Museu da Criação, “decidiu, sem fazer a pesquisa, que o fóssil do dinossauro é uma evidência do dilúvio de Noé “.

Enquanto isso, Michael Peroutka, membro da fundação do ministério, disse que o fóssil “é um testemunho do poder criativo de Deus na concepção dos dinossauros, e … também fornece a evidência da verdade de uma inundação catastrófica que ocorreu no terra no tempo de Noé “. O que você acha disso? Deixe a sua opinião abaixo!

Portal Padom

Deixe sua opinião