Marcelo Crivella pede apoio a pastor ameaçado por pena de morte no Irã

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) pediu ao Senado Federal que faça um apelo para que o pastor Yousef Nadarkhani não seja condenado à morte. O pastor foi acusado de apostasia (abandono da fé): de acordo com o parlamentar, a Lei da Sharia condena à morte os iranianos que vêm de uma família muçulmana e deixam de professar o islamismo.

Em aparte, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), senador Paulo Paim (PT-RS), comprometeu-se a entregar ainda nesta quinta-feira (29) um documento ao presidente José Sarney (PMDB-AP) para que seja enviado à Embaixada do Irã, em apoio ao pastor.

Além de Paim, os senadores Ana Amélia (PP-RS), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Jayme Campos (DEM-MT) e Geovani Borges (PMDB-AP) se solidarizaram com a causa de Marcelo Crivella.

De acordo com Crivella, já transcorreu a terceira audiência na qual o pastor deveria negar sua fé no cristianismo, mas ele se recusou a fazê-lo. De acordo com o senador, o pastor também se negou a dizer qual a religião de seus antepassados.

Marcelo Crivella informou que Yousef Nadarkhani não teve a pena de morte decretada, mas continua preso. Recentemente conseguiu rever seus filhos, o que não fazia desde março. O senador informou que os advogados do pastor tentam reverter sua pena para prisão perpétua, mas isso também não interessa, uma vez que o pastor é “apenas um homem que exerce o direito de expressar sua consciência e sua liberdade religiosa”.

Comentário do Blogueiro do Holofote

Será que algum líder evangélico do Brasil que apoiou a eleição e reeleição do ex-presidente Lula, levando-o inclusive para cima dos púlpitos (o que certamente ocorrerá, caso Lula se candidate novamente) já entrou em contato com o ex-presidente a fim de solicitá-lo que peça Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã, para que este intervenha na causa?

Segundo a revista americana TIME, o líder mundial mais influente de 2010 foi Luis Inácio Lula da Silva.

Ademais, ressalta-se que Lula e Ahmadinejad tiveram boas relações. O ex-chefe de estado brasileiro fez questão, mesmo sob críticas internacionais, de convidar Ahmadinejad para vir ao Brasil, o que ocorreu em 2009.

Veja o vídeo abaixo, com as palavras do senador Crivella:

 Agência Senado / Holofote  / Portal Padom

Deixe sua opinião