Don Lemon jornalista e apresentador na CNN Internacional

Don Lemon, jornalista da CNN, que cresceu como Batista e frequentou uma escola católica, alegou erroneamente esta semana que Jesus “reconhecidamente não era perfeito” quando estava na Terra.

Aqui está a coisa“, disse Lemon ao colega âncora da CNN Chris Cuomo, que é católico. “Jesus Cristo – se é nisso que você acredita, Jesus Cristo – não era perfeito quando Ele esteve aqui nesta terra.”

Cuomo, apesar de suas próprias crenças religiosas, assentiu com aprovação.

“Então por que estamos deificando os fundadores deste país, muitos dos quais possuíam escravos, e a Constituição – a original – eles não queriam, eles colocavam escravidão ali, que a escravidão deveria ser abolida porque era assim que o rei queria, e então o Congresso disse: ‘De jeito nenhum’ ”, continuou Lemon.

Em 2011, escrevendo sobre sua fé e sua orientação sexual, Lemon explicou que não frequenta mais os cultos da igreja, mas “acredita em um poder superior”.

Vários líderes cristãos responderam à farsa do apresentador da CNN de que Jesus não era perfeito.

O Dr. Derwin L. Gray, um pastor da Carolina do Norte, marcou um tweet em Lemon, escrevendo: “Bom senhor, Jesus era perfeito. Ele não teve pecado. Ele é o Cordeiro de Deus sem mácula, que tira os pecados do mundo. ”

Se você quer um conselho teológico“, acrescentou Gray, “me adicione, por favor.”

Jesus Cristo era, é claro, perfeito.

A perfeição de Jesus está no centro da expiação substitutiva – a crença doutrinária central de que Jesus morreu por nós – que concede salvação àqueles que depositam sua fé no Filho de Deus.

De acordo com várias passagens da Bíblia, Jesus viveu uma vida totalmente sem pecado enquanto estava na terra. As escrituras dizem que “não cometeu pecado” (1 Pedro 2:22), “não conheceu pecado” (2 Coríntios 5:21), era “um cordeiro sem macula nem mancha” (1 Pedro 1:19) e é “santo e irrepreensível, não manchado pelo pecado ”(Hebreus 7:26). Além disso, porque Deus e Jesus “são um” (João 10:30), Ele é perfeito, assim como o Pai é perfeito (Mateus 5:48).

Jesus não apenas não pecou, Ele não seria capaz de escolher pecar. O padre italiano Tomás de Aquino definiu o pecado como “uma expressão, uma ação ou um desejo contrário à lei eterna”. Essa “lei eterna” está enraizada no caráter de Deus; portanto, ir contra ela seria uma contradição direta à Sua própria natureza – uma impossibilidade.

O ensino católico, como a teologia cristã evangélica, afirma que Jesus era “como nós em todas as coisas, exceto no pecado“.

Independentemente de ele acreditar agora, Lemon cresceu aprendendo a doutrina cristã; ele deveria ter pensado melhor do que fazer uma afirmação desleixada e tacitamente falsa sobre Jesus. E Cuomo, como católico, deveria imediatamente intervir para corrigir seu colega da CNN.

Deixe sua opinião