aviao-desaparecido
Avião desaparecido no Oceano Atlântico é visto no aeroporto de Houston (EUA), nesta imagem de arquivo 01/06/09

Representantes do Centro de Investigações e Análises de Acidentes Aéreos da França (BEA, na sigla em francês) afirmaram neste sábado que o Airbus da companhia aérea Air France que fazia o vôo 447 emitiu 24 mensagens automáticas de erros nos sistemas em 4 minutos. Destas, 14 foram transmitidas no primeiro minuto, entre 23h10m e 23h11m, de Brasília.

Uma das mensagens teria acusado a perda do piloto automático, que poderia ter sido desligado pelos pilotos ou automaticamente, por perda de velocidade.“Pode ter sido uma parada voluntária ou uma pane real. O sistema não detecta se depois isso voltou ao normal”, disse Paul-Louis Arslanian, diretor do BEA, em uma entrevista coletiva nos arredores de Paris.

Os especialistas franceses chegaram à conclusão de que tampouco se pode dizer que as condições meteorológicas eram “excepcionais” na região, embora ressaltem que essa análise não leva em conta a composição interna das nuvens, já que só podem ser feitas a partir de imagens de satélites.

As autoridades da França também fizeram questão de destacar que ainda não têm informações suficientes para determinar com precisão o que aconteceu com o Airbus, já que isso só deve ser possível após a análise das caixas-pretas.

Os investigadores correm contra o tempo para localizá-las no oceano. De acordo com Arslanian, assim que uma zona de busca mais restrita puder ser definida, navios vão vasculhá-la com microfones de profundidade. No entanto, o especialista fez questão de demonstrar a dificuldade de encontrar os equipamentos, que têm o tamanho de uma pilha grande.

Na sexta-feira, o ministro da Defesa da França, Herve Morin, afirmou que um submarino também foi enviado à região das buscas para ajudar a localizar as caixas pretas com um sofisticado sistema de sonar.

Leia também!  Pastor da Assembleia de Deus é premiado no Senado da França

BBC Brasil / www.padom.com

Deixe sua opinião