Fé em Deus faz náufrago sobreviver 13 meses à deriva no mar

451

Segundo uma entrevista que ele fez com a CNN em Espanhol, o naufrago que esteve perdido durante 13 meses no Oceano Pacífico, teve muitos momentos de desespero, como a morte de seu companheiro de viagem e dias que não tinha o que comer e beber. No entanto, ele afirma que sua fé em Deus o ajudou a sobreviver nessa tempestade.

O naufrago que diz se chamar José Salvador Alvarenga, de nacionalidade salvadorenha, disse ter saído para o que deveria ser uma expedição de um dia com o objetivo de caçar tubarões no dia 21 de dezembro de 2012.

No entanto, ele e um companheiro perderam o curso por causa dos ventos do norte e em seguida, ficaram presos em uma tempestade, com o tempo, os motores deixaram de funcionar e eles não tinham nenhum sinal de radio para informar sobre a situação em que se encontravam.

Esta viagem de apenas um dia, se tornou em mais de um ano à deriva.

Conforme o tempo passava, ele perdia a noção da data e dos dias da semana.

“Não sabia a data ou o dia, somente as horas”, explicou. “Só quando era à noite ou quando amanhecia”.

Ele esteve se alimentando de peixes e tartarugas cru que ele pegava com as próprias mãos, além de depender da água da chuva para beber, e algumas vezes teve que beber de sua própria urina ou sangue de tartarugas.

Seu companheiro de viagem chamado Ezequiel, acabou morrendo quatro meses após o naufrágio… Ao passar os dias sozinho, ele teve momentos difíceis, ao ponto de até mesmo tentar o suicídio.

“Eu queria fazer duas vezes”, disse ele, simulando cortar sua garganta. “Queria fazer com uma faca. Quando não tive água e nem comida, me dei por vencido e peguei uma faca, mas não me atrevi porque estava assustado”, comentou Alvarenga.

Mas, segundo Alvarenga sua fé em Deus o ajudou a vencer esses tempos tempestuosos.

Apontando para cima ele disse: “Deus… minha fé em Deus…Pensei “eu vou sair disso”. Sair, sair, sair”, disse.

Após isso, ele decidiu orar constantemente: “Eu pedi para Deus me salvar… Mantive minha mente em Deus. Se tivesse que morrer, teria estado em companhia de Deus. Por isso não tive medo”.

Durante esse tempo difícil, seus pais também confiaram em Deus.

 

“Meu coração me dizia que meu filho não estava morto, mas pensava sobre isso muitas vezes, e havia começado a perder a fé“, disse Julia Alvarenga, sua mãe.

“Pedia a Deus que meu filho não estivesse morto. Primeiro Deus, meu filho está vivo. E algum dia o veremos de novo. Estou muito feliz em saber que ele esta vivo e que em breve vamos te-lo de volta”,disse seu pai, Ricardo.

Seu estado atual.

Alvarenga foi encontrado no dia 30 de janeiro, em atol das ilhas Marshall, a 22 horas de viagem em um barco desde Majuro a capital das Ilhas Marshall.

O embaixador do México nas Filipinas, Julio Camarena Villaseñor, informou que Alvarenga ainda se recupera em um hospital nas ilhas Marshall, devido ao seu estado mental e físico.

“Ele esta em melhores condições do que poderia se esperar depois de tal odisseia”, disse Tom Ambruster, embaixador dos Estados Unidos nas Ilhas Marshall.

A história de Alvarenga, não é a única que tem passado pelo Oceano Pacifico, em 2006 três pecadores mexicanos também ficaram a deriva durante nove meses. Aqueles homens sobreviverem comendo peixes e bebendo água da chuva. Eles liam a Bíblia em busca de conforto.

Portal Padom

Deixe sua opinião