Empresário cristão é processado após exigir que seus funcionários participem de estudo bíblico

Empresário cristão foi processado por um ex-funcionário que alegar ter sido demitido por não querer mais participar de estudo bíblico semanal.

Joel Dahl (esquerda), empresário. Ryan Coleman funcionário demitido e que o esta processando

Um empresário cristão no Oregon está sendo processado por exigir que seus funcionários participem de um estudo bíblico semanal.

O ex-presidiário Joel Dahl é proprietário da ” Dahled Up Construction “, uma empresa especializada em pintura, coberturas e construção. Ele construiu sua empresa em princípios cristãos – os mesmos princípios que ele abraçou depois de encontrar Deus na prisão.

Agora, ele está sendo processado por  800 mil dólares, depois que o ex-funcionário Ryan Coleman diz que foi demitido por se recusar a participar do estudo bíblico semanal que todos os funcionários são obrigados a participar. O estudo da Bíblia é de uma hora por semana e é liderado por um ministro cristão. Ocorre durante o horário de trabalho e os funcionários são pagos para participar.

Não tendo certeza de onde encontrar outro emprego, Coleman participou do estudo por seis meses até que ele decidiu parar de ir.

Eu disse ‘eu mantive uma mente aberta, e isso não é para mim.’ E ele disse: “Bem, vou ter que substituí-lo“, disse Coleman ao The Oregonian / OregonLive.

Ele disse: ‘Você não vai me dizer como administrar minha própria empresa‘”, continuou Coleman. “Eu disse: ‘Não estou tentando dizer a você como administrar sua própria empresa, mas você não vai me dizer a que deus devo orar'”.

O processo de Coleman argumenta que Dahl discriminou-o com base na religião, tirando o seu emprego.

Dahl acredita que suas alegações são injustificadas.

Dahl acha que é lamentável que ele (Coleman) esteja tentando explorar as honradas intenções de Dahl por ganhos financeiros injustificados“, disse Ken Hickam, o advogado de Dahl. Ele não contesta as alegações de Coleman de que ele era obrigado a comparecer ao estudo, mas disse que é legal porque Dahl paga seus funcionários para irem.

Dahl também está sendo representado pelo Instituto de Justiça do Pacífico .

Joel Dahl espera fazer mais com sua empresa do que apenas o trabalho de construção“, disse o presidente da PJI, Brad Dacus. “Ele espera ajudar os presos que já foram como ele, e que poderiam ter dificuldade em encontrar trabalho por causa de seus erros passados, encontrar redenção. A Suprema Corte afirmou repetidamente nos últimos anos que os donos de empresas cristãs são, na maior parte, livres Para operar suas empresas de acordo com os princípios de sua fé, esperamos defender o direito de Dahl de fazer o mesmo, especialmente tendo em vista o bem documentado poder do cristianismo de transformar até mesmo os mais vilmente ofensores em cidadãos exemplares “.

Deixe sua opinião