Dr. Hollywood diz para Eliana que o dizimo é o segredo do seu sucesso

Noticias Gospel – O cirurgião plástico e apresentador Roberto Miguel Rey Júnior, mais conhecido como Doctor Rey ou “Dr. Hollywood“, participou recentemente do programa da Eliana no SBT.

A apresentadora visitou no mês passado visitou a mansão de Rey, em Beverly Hills, Los Angeles, onde conheceu a esposa e os dois filhos do cirurgião plástico.

A mansão que tem seis mil m2, esta avaliada em torno de 21 milhões de reais, Eliana visitou todos os cômodos da casa, incluindo a sala de música, a academia de lutas marciais e uma cozinha de US$ 1 milhão. Ela também conheceu o closet da mulher de Rey, Hayley, que gasta US$ 80 mil por mês com roupas, sapatos e acessórios.

Já no palco do programa Robert fez questão de dizer a apresentadora o segredo de seu sucesso:

“Sabe qual é o segredo?”, perguntou Doctor Rey.

O segredo da casa?“, perguntou Eliana

“O segredo do meu sucesso, eu amei minhas pacientes, eu amei o Brasil eu amei ela…”, respondeu Rey, completando “eu paguei meu dizimo! Malaquias 3:8, simples né? Paguei meu dizimo!”.

Em 2011, Dr. Rey, fez questão em dizer em uma entrevista que “Trinta mil pacientes, cinco infecções. Estatisticamente isso não é possível. Zero mortes. Como você acha que eu fiz isso? Passei muitas horas de joelhos. E pagando o dízimo cada mês. Dez por cento.”

Dr. Hollywood conta que é dizimista para Eliana – assista

Afinal Doctor Rey está ou não esta casado?

Segundo o site celebridades da UOL, diz que eles estão separados desde o inicio de 2014, onde ele afirma que nunca traiu sua mulher e que não dormiam juntos “há anos”, “Digamos que eu e a Hayley estamos unidos pelos nossos filhos. Somos amigos e sempre seremos”, afirmou ele a reportagem.

Já a coluna TV e Famosos da UOL, publicou no mês passado que Robert tem um relacionamento aberto com Hayley “Beijo umas velhinhas, gosto de paquerar“, disse. Ele, no entanto, prefere não saber se a mulher fica com outros homens.

Biografia do Dr. Hollywood – Robert Rey

Robert Rey é filho do engenheiro americano Robert Miguel Rey, que se naturalizou brasileiro e casou-se com a gaúcha Avelina Reisdörfer.

“Na minha casa, no Brasil, era tudo muito ruim. Enquanto a maioria das crianças vai dormir com músicas de criança, eu dormia com meus pais gritando à noite. O meu último ato em terra brasileira foi roubar uma loja, ali mesmo na Lapa. Aos 11 anos, eu fazia parte de um grupinho de marginais, moleques. Se tivesse ficado no Brasil, estaria na cadeia. Graças a Deus e a essa gente, acabei nos Estados Unidos, onde não faltava comida, não tinha sujeira nem gritaria. Não era minha família, era um monte de gente estranha, mas era muito, muito melhor do que a situação em que eu estava antes. […] Um dia, bateram na nossa porta e meu pai começou a conversar com eles. Não que fosse ligado em religião, mas estava com saudade do país dele. Eles visitaram nossa casa várias vezes e, um belo dia, um deles disse para o meu pai: “Robert, por que você não deixa eu levar essas crianças para a minha casa, nos Estados Unidos? Vai ser melhor para você”. Meu pai ficou muito contente. Minha mãe não tinha voz ativa na família. Assim, por incrível que pareça, ele mandou os quatro filhos para os Estados Unidos. Eu não consigo entender. Tenho minha filha agora e não consigo ficar um dia sequer sem vê-la. Imagine anos, como foi o caso dele. Cquote2.svg”  disse Robert Rey em entrevista à revista Veja.

Rey e seus irmãos mudaram-se para Utah,3 onde foram adotados por uma comunidade religiosa mórmon.

Aos dezesseis ele encontrou-se com sua mãe novamente e eles foram viver em Prescott, Arizona, onde entrou na escola de ensino médio de Prescott. Aos 19 anos Rey serviu em uma missão de tempo integral por dois anos no Estado da Georgia. Durante este período sua mãe trabalhou como zeladora para ajudar com as despesas da missão. Quando retornou continuou seus estudos até se formar na Tufts University School of Medicine.

Sua vida nos Estados Unidos nem sempre foi um mar de rosas. Quando ele passou nos exames e foi admitido os colegas zombavam dele. “Você é brasileiro. Então venha limpar o chão, ou lavar nossos pratos”, diziam eles. Robert chegou a ser abandonado por uma namorada que abriu sua carteira e descobriu seu nome verdadeiro. “Os latinos, negros e chineses nem eram convidados para as festas. Quase não passei do primeiro ano”, conta o médico.

Dezessete anos depois, na formatura, um professor advertiu: “Você vai para uma das áreas mais competitivas do mundo e para o lugar que tem a maior concentração de cirurgiões plásticos por habitante. Será difícil obter sucesso”. Ele não deu ouvidos. Pegou todas as suas coisas, colocou no banco de trás de um Mustang velho e dirigiu para Beverly Hills. “Minha auto-estima estava baixa, e eu precisava me tornar um dos melhores. Hoje recebo os parabéns dos mesmos colegas que me humilhavam”, diz Robert Rey.

Sobre a sua saída do Brasil, Dr. Rey disse: “Meu pai era um monstro, e minha mãe não tinha voz. Fiquei contentíssimo de sair daquilo. Tive um pai abusivo.” Em outra entrevista ele disse que seu pai foi “um total idiota, um mulherengo e um bêbado.”

O retorno ao Brasil, em 1999, teve como objetivo reencontrar seu pai e fazer cirurgias gratuitas em pacientes pobres. Tudo foi filmado pelas câmeras do seu ‘reality show’. O que deu material suficiente para um episódio inteiro do programa.

Posteriormente fora avisado da morte de seu pai alguns meses após o funeral. Voltou ao Brasil e sabendo que o mesmo fora enterrado em uma vala para indigentes mandou construir uma sepultura melhor. “Só voltei a falar com meu pai recentemente”. nosso reencontro ocorreu quando recebi um telefonema dele, pedindo dinheiro. Achava até que ele já estava morto. No fim, viramos amigões e eu o apoiei financeiramente até o fim. Sem críticas, sem mágoas”.

Notável por seu trabalho em pacientes com celebridades, incluindo a cirurgia de aumento de seios caracterizado em Dr. 90210, que foi realizada na sobrinha de John Travolta. Ele tem um mestrado em Políticas Públicas pela Universidade de Harvard, e um título de doutor em medicina da Tufts University School of Medicine em 1990.

Rey fez três anos de residência em cirurgia geral No Harbor UCLA, e completou sua residência em cirurgia plástica em 1997 no University of Tennessee-Memphis Health Science Center. Em seguida, especializou-se em reconstrução da mama na Harvard Medical School , em Boston. É licenciado para praticar medicina na Califórnia e Massachusetts. Ele atualmente trabalha como correspondente médico para a revista The Insider e para a emissora NBC4.

Rey foi apresentado na televisão em muitos shows como The View, The Today Show, Good Morning America, o Dr. Phil, bem como jornais impressos, tais como The New York Times, The Wall Street Journal e da cobertura da Forbes Brasil e tem um programa semanal artigo casebook na revista Life and Style. Ele é membro do The Los Angeles Medical Association e a Associação Médica Americana e está na equipe no Cedars Sinai Hospital, em Los Angeles.

Em 2004, Rey tornou-se a estrela do reality show Dr. 90210.5 Ele mostra tanto a sua e outras práticas do cirurgião, as cirurgias e os pacientes, bem como sua vida familiar. Já em 2007, ele desenvolveu uma bem sucedida linha de shapewear, bem como uma linha de cuidados, ambos vendidos em todo o país. Todos os anos, viaja em missões humanitárias a operar em crianças com deformidades físicas.

Ele já realizou mais de 10 mil cirurgias e é conhecido por sua cicatriz “invisível” em cirurgias de aumento de mama, bem como elevação estética mamária sem prótese, abdominoplastia com baixa incisão, que são freqüentemente retratados em Dr. 90210. Ele tem sido criticado por ser muito informal.

Rey também fez a apresentação para a estação de televisão irlandesa TV3, do programa sobre cirurgias Cosmetic Show, com Caroline Morahan. – wikipêdia

Portal Padom

 

Deixe sua opinião