Apesar de bloqueios, proibições de viagens e quarentenas, um grupo continua vindo para Israel – os imigrantes judeus.  

Desde o início da pandemia, vários milhares de imigrantes judeus partindo da Rússia, Europa, América do Norte e Etiópia pousaram no aeroporto David Ben Gurion de Tel Aviv.  

 Os cristãos estão desempenhando um papel fundamental em ajudar o povo judeu a voltar para casa durante estes tempos difíceis. 

“Esta é uma época muito incomum e emocionante para nós”, disse David Parsons, vice-presidente da Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém (ICEJ). 

Ele explicou que muitos judeus que planejavam se mudar para Israel neste ano ficaram presos em seus países de origem quando o COVID-19 chegou. Muitos ficaram sem emprego e tiveram que suspender seus planos de imigrar para Israel. O ICEJ está ajudando essas famílias judias a se mudarem para Israel, patrocinando “voos de resgate” para o Estado de Israel.

 Por quarenta anos, o ICEJ ajudou mais de cem mil judeus a fazer Aliyah.

  

Povo judeu voltando para Israel
Voltando para Israel

 “É [o] cumprimento das promessas da aliança de Deus aos Patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó”, explicou Parsons. “E o cumprimento de palavras proféticas dos profetas que eram servos desses convênios e disseram: ‘embora Deus esteja exilando você, Ele virá, encontrará você e o trará de volta.’”

“Este é um trabalho emocionante que acreditamos ter valor eterno e que será aqui, de volta à terra de Israel, onde Deus derramará Seu Espírito sobre o povo judeu”, disse ele. 

Por 90 anos, a Agência Judaica para Israel desempenhou um papel crítico na promoção da imigração judaica. Quando o COVID-19 diminuir, ela espera um grande aumento.    

 “Prevemos que nos próximos cinco anos haverá um potencial de 250.000 ‘Olim’ – ou seja, pessoas que desejam vir a Israel. E precisamos trabalhar junto com o governo de Israel para construir um plano especial que os ajudará a fazer Aliyah”, disse Shay Felber, Diretor de Aliyah e Absorção da Agência Judaica.

 NefeshB’Nefesh  (Soul to Soul) trabalha com a Agência Judaica para manter o fluxo de imigração se movendo da América do Norte para Israel. Em junho de 2019, eles receberam pouco mais de 5.000 ligações pedindo informações sobre como fazer Aliyah. Em junho de 2020, eles tiveram mais de 25.000 ligações. 

Tom Hess, autor de  Let My People Go, disse ao CBN News que acredita que haverá um grande êxodo de judeus da América. 

 “Ele me mostrou maiores abalos nos Estados Unidos e disse que o povo judeu precisava ser avisado porque seu destino estava em Israel”, disse Hess ao CBN News. 

Hess disse que escreveu  Let My People Go  em 1987, depois que Deus o avisou que um dia os judeus nos Estados Unidos estariam mais seguros em Israel. Ele acabou de terminar a décima edição do livro. 

 “Neste momento, o décimo quinto capítulo tem a ver com o que aconteceu apenas neste ano, 2020, com todas as coisas que aconteceram com a epidemia e o anti-semitismo e coisas que estão acontecendo em Nova York e em todos os Estados Unidos”, explicou Hess. “Pela primeira vez, provavelmente, desde que Israel renasceu, muitos judeus nos Estados Unidos pensam que é melhor viver em Israel do que nos EUA. Eles costumavam pensar que podem viver lá, podem abençoar Israel de longe, mas agora eles acreditam que é hora de voltar a Israel porque eu acho que eles vêem as coisas sinistras que estão acontecendo.”

 Há um crescimento assustador do anti-semitismo em todo o mundo. 

“Parece que esse ódio e animosidade antigos contra os judeus simplesmente não querem morrer … E os judeus estão sendo culpados por COVID-19. É totalmente absurdo e ultrajante, mas se você é judeu vivendo entre as nações gentias e você ainda está sendo falsamente culpado por essas coisas, não é de admirar que muitos deles queiram voltar para casa em segurança em Israel”, disse Parsons.

Parsons acredita que Israel está se aproximando de um marco de quase 3.000 anos em formação.  

 “Os judeus realmente estiveram no exílio desde os tempos da Babilônia e mesmo nos dias de Jesus, mais da metade dos judeus ainda vivia no exterior. Mas essa crise da Coroa pode ser o que empurra Israel além desse limiar”, disse Parsons.  

 Hess está exortando os cristãos a orar pelo retorno do povo judeu à sua pátria bíblica. 

“Acho que os cristãos deveriam orar para que Deus abra os portões de suas cidades, abra os portões de suas nações e o povo judeu possa voltar a Israel”, disse Hess. “Que eles voltem mais cedo ou mais tarde, porque este é o ano da Aliyah. 

Este, eu acredito, é o tempo designado para os judeus voltarem do Ocidente, de volta à sua terra natal, Israel. “

Deixe sua opinião