JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

A teologia da prosperidade que nasceu nos Estados Unidos a quase cinco décadas e se espalhou em todo o mundo, esta sofrendo grande resistência das igrejas na França.

Recentemente o Conselho Nacional de Evangélicos da França (CNEF), elaborou um documento que visa eliminar essa teologia das igrejas francesas.

A CNEF é formada por teólogos de diferentes organizações religiosas (pentecostais, batistas, ortodoxa, carismático pentecostal), que tem como objetivo de regularizar a doutrina do meio evangélico na França.

O Conselho, concluiu que é necessário deixar a teologia que se assemelha a riqueza material com a salvação cristã e incentiva essa atitude, de modo que o conselho explica a seus membros as razões pelas quais é necessário afastar-se da teologia da prosperidade.

Erros que cruzam a teologia da prosperidade

O primeiro erro na teologia da prosperidade é precisamente na relação entre a salvação, prosperidade física e material (saúde e riqueza), porque a salvação esta vinculada ao “coração”, explica Thierry Juser, pastor Batista. Acrescentando que “a salvação se refere principalmente a relação com Deus e a reconciliação com Ele por meio de Cristo”.

Thierry também fala do erro teológico que ensina que Deus coloca lugares de serviço de prosperidade fiel. “A ênfase unilateral na palavra de Deus, cuja eficácia esta no seu poder de afirmação, pode levar a terem ‘fé na fé’ em vez de ‘fé em Deus’.

O texto da CNEF fala também da expressão utilizada por estas igrejas, dizendo aos fiéis que eles não receberam o que querer por não ter fé. “Os profetas da prosperidade se proteger de todos os que questionam as suas promessas. Em vez disso, todo o peso de qualquer falha é devido aos fiéis que não esperam, não oram…”, diz o fragmento de texto.

O documento também aponta outro erro nessa linha de pensamento teológico, Jesus falou de não termos o amor e nem adorar o sucesso material.

Portal Padom

Traduzido e adaptado de acontecer cristiano

Deixe sua opinião