O missionário cristão Kenneth Bae, cumpriu um ano de prisão na Coreia do Norte, acusado de atentar contra o regime, depois de ser preso fazendo trabalhos humanitários.

Kenneth-Bae-missionário-preso-coréia-do-norteIsso o faz o prisioneiro americano com mais tempo preso que tem se conhecido desde o fim da Guerra da Coréia.

Ele foi preso pelas autoridades norte-coreanas no dia 03 de novembro de 2012 em Puerto Rajin.

De acordo com o Comitê Nacional da Coreia do Norte, a ditadura comunista não tinha nenhum cidadão americano como prisioneiro, cujo caso seja conhecido por mais de 12 meses, desde o cessar fogo assinado em 1953 com seu vizinho do sul.

No inicio deste ano, fontes da International Christian Concern (ICC), confirmaram que Bae, um ativo missionário cristão com sede na China, foi provavelmente preso por atividades relacionadas com a fé em todo o país. A pratica do cristianismo esta completamente proibida na Coreia do Norte, e até mesmo, questões menores, incluindo a posse de uma Bíblia, são punidos sem piedade. Bae foi condenado em maio a 15 anos de trabalhos forçados por supostamente ter cometido ‘atos hostis’ contra o regime norte-coreano.

Organizações de direitos humanos estimam que dezenas de milhares de cristãos da Coreia do Norte, estão presos atualmente nos campos de trabalho em todo o país. Na semana passada, Michael Kirby, o presidente de uma comissão das Nações Unidas para investigar os abusos cometidos pelo regime, disse que se comoveu ás lagrimas com o testemunho do que haviam escapados dos campos de trabalhos. A Coreia do norte figura constantemente como o maior perseguidor de cristão no mundo.

A Coreia do Norte tem rejeitado ou ignorada varias solicitações do Departamento de Estado dos EUA, e da família de Bae, que tem pedido a sua libertação por razões humanitárias. No final de agosto, Robert King, enviado especial dos Estados Unidos para assuntos de direitos humanos da Coreia do norte, teve um encontro falido, pois foi rejeitado pelo país comunista no último minuto depois da autorização inicial para visitar Pyongyang para buscar a libertação de Bae.

Bae foi visitado por sua mãe no mês passado. Ele tem enfrentado problemas de saúde desde sua prisão devido a problemas com o coração.

Ryan Morgan, gerente regional da ICC para o Leste da Ásia, disse que “com grande tristeza que marcamos o primeiro aniversário da prisão de Kenneth Bae. Nossas orações estão com sua família durante este tempo muito difícil, e mais uma vez reiteramos o nosso apelo para sua libertação às autoridades norte-coreanas”.

Ninguém deve ser preso simplesmente por suas crenças religiosas, no entanto, milhares e milhares de homens, mulheres e crianças estão vivendo no que tem sido descrito como o inferno na terra, simplesmente porque escolheram ser cristãos“.

Portal Padom

Deixe sua opinião