Samuel Câmara desligado da CGADB
Manifesto de Apoio ao Pr. Samuel Câmara publicado pela IBAD, classifica a atitude da CGADB como 'injusta,ilegítima e revanchista'.
Samuel Câmara desligado da CGADB
Manifesto de Apoio ao Pr. Samuel Câmara publicado pela IBAD, classifica a atitude da CGADB como ‘injusta,ilegítima e revanchista’.

CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil), que desligou o pastor Samuel Câmara, na semana passada, sob acusação de ‘quebra de decoro’, foi criticada pelo Instituto Bíblico das Assembleias de Deus (IBAD), que classificou a decisão da Mesa Diretora como  ‘revanchista e injusta’.

A Mesa Diretora da CGADB desligou Samuel Câmara da Convenção, sob a acusação de que ele havia cometido ‘quebra de decoro’ ao protestar juntamente com outros pastores, durante a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) no ano de 2012 em Maceió.

Através de uma nota publicada no site da IBAD, assinada pelo Pr. Mark Jonathan Lemos, que é presidente do Conselho Diretor do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus, diz que: “Nós que fazemos parte do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus vimos por meio deste expressar votos de apoio e solidariedade ao Pr. Samuel Câmara, por ocasião do seu desligamento da CGADB pela Mesa Diretora da Convenção.”

A nota diz ainda que o pastorado de Samuel Câmara, que é ex-aluno da instituição, tem inspirado na formação de milhares de jovens assembleianos pelo país.

Leia abaixo o Manifesto de Apoio ao Pr.Samuel Câmara na integra

Manifesto de Apoio ao Pr. Samuel Câmara

Saudações a todos na Paz do Senhor Jesus.

Nós que fazemos parte do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus vimos por meio deste expressar votos de apoio e solidariedade ao Pr. Samuel Câmara, por ocasião do seu desligamento da CGADB pela Mesa Diretora da Convenção.

O Pr. Samuel Câmara é ex-aluno do IBAD e primeiro Secretario no Conselho Administrativo dessa instituição. Seu pastorado tem inspirado a formação de milhares de jovens assembleianos do Brasil.

Lamentamos profundamente essa decisão injusta, arbitrária, ilegítima, revanchista e não condizente com a natureza e propósito de uma instituição cristã, que deve ter a Bíblia Sagrada como a principal referência de normas e conduta, conforme vemos em Mateus 5.20: Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus; Salmos 133: Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união; 1 Timóteo 6.5: Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. 

Entendemos que esse é um momento oportuno de esforços pelo fortalecimento da Igreja e não de atitudes facciosas que conspiram contra a unidade do Corpo de Cristo.

Reconhecemos na trajetória do Pr. Samuel Câmara a conduta ilibada com que tem desempenhado seu profícuo ministério.

Reiteramos que a decisão da CGADB não macula ou compromete os direitos e prerrogativas do Pr. Samuel Câmara junto a esta instituição, e externamos a ele nossa estima e consideração cristã.

No Amor de Cristo,

Pr. Mark Jonathan Lemos

Presidente do Conselho Diretor do IBAD 

Portal Padom

Deixe sua opinião