Autoridades no Haiti continuam a procurar um grupo de 17 missionários cristãos, incluindo cinco crianças, que foram sequestrados no dia 16 de outubro de 2021, enquanto trabalhavam para os Ministérios de Ajuda Cristã.

O grupo de missionários estava voltando para casa depois de construir um orfanato e foram sequestrados pela gangue 400 Mawozo em Ganthier, uma comunidade a leste da capital do Haiti, Porto Príncipe. A gangue controla a área e é conhecida por extorsões, sequestros e roubos de carros.

Uma declaração divulgada pelo Christian Aid Ministries diz: “Pedimos oração urgente pelo grupo de trabalhadores do Christian Aid Ministries que foram sequestrados durante uma viagem para visitar um orfanato no sábado, 16 de outubro. Estamos buscando a direção de Deus para uma resolução, e as autoridades estão procurando maneiras de ajudar.”

“O grupo de dezesseis cidadãos americanos e um canadense inclui cinco homens, sete mulheres e cinco crianças. Junte-se a nós em oração por aqueles que estão sendo mantidos como reféns, pelos sequestradores e pelas famílias, amigos e igrejas das pessoas afetadas. Ore por aqueles que estão buscando a direção de Deus e tomando decisões sobre este assunto…Como organização, entregamos esta situação a Deus e confiamos Nele para nos ajudar. Que o Senhor Jesus seja engrandecido e que muito mais pessoas conheçam Seu amor e salvação.”

The Guardian escreve que um dos americanos sequestrados conseguiu enviar uma mensagem no WhatsApp pedindo ajuda enquanto ocorria o sequestro. ‘Por favor, ore por nós !! Estamos sendo mantidos como reféns, eles sequestraram nosso motorista. Ore, ore, ore. Não sabemos para onde eles estão nos levando.”

O Haiti experimentou um aumento nesses tipos de atividades criminosas, especialmente desde o assassinato do presidente Jovenel Moise em julho e o terremoto de agosto. A gangue 400 Mawozo tem um histórico de almejar grupos religiosos e recentemente aumentou suas atividades.

Outros incidentes de liberdade religiosa no Haiti neste ano incluem o sequestro de 5 padres e 2 freiras em abril, bem como o assassinato de um diácono em setembro e o sequestro de sua esposa.

O presidente da ICC, Jeff King, disse: “Nossos corações estão pesados ??com a notícia deste recente sequestro; estamos ativamente mantendo eles e suas famílias em oração. O Haiti viveu um ano muito desafiador, que teve um impacto profundo na Igreja e em suas atividades ministeriais. Os sequestros seletivos de funcionários do ministério são uma realidade trágica em muitos países, e estamos tristes em saber que esse tipo de padrão está se aprofundando no país vizinho dos Estados Unidos, o Haiti. Instamos as autoridades dos Estados Unidos a permanecerem engajadas nesta questão atual e que a comunidade de liberdade religiosa analise mais profundamente como as atividades relacionadas às gangues no Haiti estão impactando as atividades e a expressão de várias comunidades religiosas”.

Deixe sua opinião