As Assembleias de Deus da Nicarágua, juntamente com outras igrejas evangélicas marcharão amanhã, 31 de outubro de 2012, contra a celebração do Dia das Bruxas, por ser considerada uma festa “perversa, pagã e pecaminosa para a Nicarágua”.

De acordo com o jornal La Prensa, a maior denominação da Nicarágua tem chamado este evento como uma Marcha Espiritual de Intercessão Profética e Guerra Espiritual Pela Nicarágua. O jornal entrevistou o secretário da denominação, reverendo Roberto Rojas e o reverendo Silvio Jarquin, pastor da Igreja Santa Fraternidade.

A marcha contra o Halloween iniciará as 4 horas da manhã em diferentes partes de Manágua. O pastor Jarquín disse: “Ali vamos apresentar os decretos espirituais para que Deus abençoe a nossa Nicarágua”.

O Pastor Rojas ressaltou que esta celebração é “um costume entranho a nossas tradições, é cheio de paganismo, ocultismos e perversidade“, e exortou aos nicaraguenses a não celebrarem o Halloween.

“Somos cristãos e não podemos comemorar essas coisas porque estão fora de todo o princípio cristão”, pois de acordo com o Pastor Silvio Jarquin, estas celebrações incitam a violência, por isso “todos evento perverso e diabólico apenas promove a violência porque essa é a missão Satanás, para promover a violência e práticas pagãs “, Jarquin disse.

Finalmente o Jarquin pastor disse que “não podemos exaltar o que é maldição” de modo que este evento deve ser rejeitado. “O inimigo está disfarçado de muitas maneiras, e Halloween é uma forma de promover a bruxaria e maldições para a Nicarágua. Por esta razão, a Igreja rejeita a partir de qualquer ponto de vista. “

 Outros movimentos contra Halloween

A celebração do Halloween tem suas origens na celebração celta de Samhain. Segundo a crença pagã, esse dia a separação entre o mundo dos vivos e dos mortos está encolhida, para que os espíritos (bom e mau) possam se mover de um lado para outro. Desde 1840 é uma festa tradicional nos EUA, mas hoje, com a globalização, é comemorado em todo o mundo.

A igreja polonesa também tem se pronunciado contra o Dia das Bruxas, segundo o arcebispo Szczecin-Kamien, Andrzej Dzega, que qualifica a festa de ser uma “celebração da cultura da morte que tenta as crianças com uma guloseima, podendo infringir com grandes danos espiritual (…) É uma celebração irresponsável e anti cristã que expões os jovens a um mundo de escuridão, demônios e vampiros em nome de diversão”.

Traduzido e adaptado de La Prensa Nicaragua por Portal Padom

Portal Padom

Deixe sua opinião