Este não é um ‘ano perdido’

2020, Este não é um ano perdido. Este momento que Deus determinou para nós é desafiador e caótico. Mas Ele também nos determinou para este momento. E Ele está conosco.

0
179

Ano de 2020, O Buzzfeed News está apresentando uma série de reportagens neste mês, chamada “O Ano Perdido”, apresentando perfis de como seis pessoas, de diferentes idades e origens, foram afetadas pela pandemia COVID-19. As histórias variam de desafiadoras a até, em alguns casos, devastadoras.

Ainda assim, o título desta série é, eu acho, enganoso. Este é realmente um ano “perdido”? Existe mesmo tal coisa?

No capítulo 17 de Atos, Lucas descreve o que parece, à primeira vista, uma pausa nos esforços missionários de Paulo. Depois de ser expulso, primeiro, de Tessalônica e depois de Beréia, Paulo está preso em Atenas, esperando que Silas e Timóteo o alcancem. No entanto, Lucas descreve Paulo não como “impaciente”, mas como “profundamente angustiado” pela adoração pornográfica, violenta e bastante extensa de ídolos ao seu redor na cidade de Atenas.

Suas tentativas iniciais de compartilhar o Evangelho confundem seus ouvintes epicureus e estóicos, e assim, tendo a chance de apresentar em um ambiente moral formal, Paulo volta à estaca zero. Há apenas um Deus, Paulo proclama, um só. Ele criou tudo. Ele não foi criado por algum escultor, nem vive em qualquer lugar feito por mãos humanas.

Os dois campos filosóficos opostos na audiência de Paulo têm pontos de vista diferentes, particularmente sobre a relação entre os deuses e a história. Os estóicos acreditavam que os deuses determinavam e controlavam tudo sobre nosso tempo e lugar, não deixando espaço real para o livre arbítrio humano. Os epicureus, por outro lado, acreditavam que depois que os deuses criaram o mundo, eles se cansaram dele e perderam o interesse, deixando os seres humanos por conta própria. Sem ninguém observando, por assim dizer, as pessoas foram deixadas em uma espécie de vale-tudo moral. “Coma, beba e divirta-se”, como diz o ditado, “pois amanhã morreremos”.

Homem com máscara facial no ano de 2020 devido a Pandemia coronavírus Covid-19
Homem com máscara facial no ano de 2020 devido a Pandemia coronavírus Covid-19

É no contexto dessas filosofias concorrentes que Paulo oferece uma visão fascinante e importante sobre o único Deus verdadeiro: “De um só homem fez todas as nações, para que habitassem toda a terra. E Ele marcou seus tempos designados na história  e os limites de sua morada. Ele fez isso para que eles O buscassem e talvez procurassem por Ele e O encontrassem .” (enfase adicionada)

Em outras palavras, tanto para os fatalistas estóicos quanto para os hedonistas epicureus, Paulo descreve um Deus que está intimamente envolvido no tempo e no lugar para que possamos encontrá-lo. Em outras palavras, não é por acaso que nos encontramos neste tempo e neste lugar. O Deus que o criou planejou o agora mesmo  de cada vida humana.

Que visão crucial em um mundo que, desde a pandemia, parece que está suspenso no tempo. Temos muito o que lamentar nestes últimos meses, especialmente as centenas de milhares de pessoas que morreram e os entes queridos forçados a faltar a funerais, bem como a muitos casamentos e nascimentos. Vimos como as taxas de suicídio aumentaram e os idosos e vulneráveis ??sofreram isoladamente.

Mas Deus não ficou surpreso com isso. Isso é difícil, mas se Paulo estiver correto, desta vez na história não é uma interrupção . Não é um ano perdido.

Em um dos perfis de “Ano Perdido” do Buzzfeed, uma mãe descreve o luto pela perda de certas experiências da infância. O filho dela sentiu falta de jogar basquete com os amigos neste ano ou de ir a pé para a escola. Eu entendo sua decepção com essas experiências “perdidas”. Ao mesmo tempo, a pandemia e essas paralisações e todo o caos que as cerca também são experiências de infância, porque há crianças as vivenciando . É aqui que Deus os colocou e a nós; e, como Paulo disse aos atenienses, este momento presente é onde podemos buscá-Lo, encontrá-lo e fazer o que Ele nos pediu para fazer.

2020 não foi um ano perdido mas de oportunidades

Ao longo da pandemia, há muitas histórias de cristãos que encontraram maneiras inovadoras de aproveitar as oportunidades à sua frente. A Bolsa do Samaritano montou um hospital temporário inteiro na cidade de Nova York para tratar os enfermos. Muitas igrejas se voltaram para os serviços online e nunca pararam de falar com seus vizinhos. Algumas  igrejas abriram suas portas para crianças cujas escolas estão fechadas, dando-lhes um lugar para fazerem trabalhos escolares online durante o dia, enquanto seus pais trabalham trabalham. Nenhuma dessas boas obras é feita por aqueles que dão de ombros e classificam a inconveniência, a tragédia e o desafio como “tempo perdido”.

Ao mesmo tempo, muitas famílias estão redescobrindo as refeições compartilhadas, aprendendo, caminhando, brincando e orando juntas. E não se engane, esta é uma oportunidade para os pais ajudarem os filhos a cultivar algo de que precisarão desesperadamente pelo resto de suas vidas, especialmente em uma cultura como a nossa: resiliência. Um resumo de experiências de infância feliz não é necessariamente a melhor maneira de cultivar isso.

Este momento que Deus determinou para nós é desafiador e caótico. Mas Ele também nos determinou para este momento. E Ele está conosco.

2020, Este não é um ano perdido.

por: Maria Baer e John Stonestreet 

traduzido e adaptado por: Pb. Thiago D. F. Lima

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui