Um jovem de 15 anos no interior do estado de Nova York cometeu suicídio poucas horas depois que alguém com quem ele estava se comunicando no Facebook ameaçou divulgar fotos embaraçosas dele, a menos que pagasse milhares de dólares.

Riley K. Basford, estudante do segundo ano da Potsdam High School, supostamente começou uma interação online com alguém no Facebook antes de cometer suicídio em 30 de março.

Sua família disse que a polícia estadual os informou sobre as interações depois que investigaram o conteúdo do celular de Basford.

Basford foi aparentemente vítima de um esquema de extorsão que culminou com uma demanda por dinheiro. A polícia disse que a outra parte obteve fotos embaraçosas de Basford, que pensava que ele estava em um relacionamento, e então ameaçou divulgá-las para seus amigos, familiares e nas redes sociais.

Sua família disse que ele tinha acabado de começar um novo emprego como lavador de pratos e provavelmente entrou em pânico porque não tinha a quantia que eles exigiam: 3.500 dólares.

“Ele não conseguia entender o que estava acontecendo com ele e estava acontecendo tão rápido”, disse sua mãe ao Watertown Daily Times. “Eles o deixaram em tal pânico que ele enlouqueceu.”

Sua família disse que as mensagens de chantagem chegaram em um dia normal e sem intercorrências. Basford foi buscar aparelho, um milkshake, falou com o tio e alimentou as vacas da família.

“Ele era normal e feliz”, disse sua madrasta Melissa Marion.

Mais tarde, a família descobriu que as mensagens ameaçadoras de alguém no Facebook começaram ao meio-dia. Horas depois, Basford estava morto por suas próprias mãos.

Seu pai, Darren Basford, disse que as mensagens eram tão manipuladoras que mais pareciam assassinato do que suicídio.

“Eles continuaram a bombardeá-lo e bombardeá-lo e, finalmente, o quebraram”, disse o pai. “Ele achava que essa era a única saída, porque não queria ficar envergonhado.”

Ele continuou a alertar os pais para monitorar o uso das redes sociais por seus filhos e certificar-se de que eles se sentissem à vontade para falar com eles sobre situações embaraçosas.

“Quero passar a mensagem aos pais de que não há mídia social segura”, acrescentou. “Você precisa conversar com seus filhos sobre todas as mídias sociais, saber com quem eles estão falando e fazer com que eles saibam com quem estão falando.”

Deixe sua opinião