santa morteA figura da “Santa Muerte”, (Santa Morte), venerada no México, é uma “blasfêmia”, por isso que se deve alertar aos jovens para que não caiam nessa falsa imagem, disse o presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, Gianfranco Ravasi.

“O crime organizado não é cultura, é anti-cultura. Cancela todos os grandes valores das relações sociais humanas e pessoal”, disse Ravasi, que é próximo ao Papa Francisco, que se encontra no México com o objetivo de promover um programa de Francisco que procura trazer Deus aos incrédulos.

Ravasi defendeu o combate à violência e ao crime organizado, com algo mais do que respostas policiais do estado, e defendeu “a educação” como o melhor veiculo, para estabelecer “um novo modelo humano”.

O cardeal recordou que num país como o México, onde a violência deixou mais de 70 mil mortos nos últimos seis anos, os jovens devem ser enfatizados de que “a máfia, o trafico e o crime organizado não são formas religiosas” e também não tem nada a ver com a religião, “mesmo que use a Santa Muerte“.

Ele disse isso, pois  a Santa Morte é um símbolo esquelético e muito popular entre os criminosos e traficantes mexicanos. Além disso, recebe pedidos de amor, carinho, sorte, dinheiro e proteção, assim como pedidos mal intencionados e danos a terceiros. – rt

Portal Padom

Deixe sua opinião