billmaherUm filme “sobre” a religião… ou “contra” as religiões?
Nome bem conhecido da “stand up comedy” americana, Bill Maher propõe-se, agora, questionar as crenças religiosas.

Bill Maher no seu documentário: afinal, falta-lhe uma verdadeira vontade conhecer aquilo que filma

“Que o Céu nos Ajude” tem como título original “Religulous”, uma combinação das palavras religious (religioso) e ridiculous (ridículo). Na prática, o realizador Larry Charles filma o actor cómico, especialista em stand up, Bill Maher, numa espécie de inquérito pessoal sobre as religiões e as suas práticas.
É um curioso dispositivo, quanto mais não seja porque serve para combater a noção de que o papel social e moral das religiões está “acima” de qualquer interrogação ou debate – bem pelo contrário, o religioso é uma instância da vida cultural e simbólica das sociedades e, por isso mesmo, pode e deve ser pensado.
Ao mesmo tempo, Bill Maher só por fingimento faz um documentário. De facto, o olhar documental pressupõe alguma disponibilidade para a descoberta, para o imprevisto e, acima de tudo, para o labor infindável do conhecimento. Ora, ele não quer conhecer nada: para ele, as pessoas religiosas são “obrigatoriamente” ridículas e como tal devem ser filmadas/denunciadas.
O que é desconcertante é que o sentido crítico dos textos de stand up comedy de Bill Maher (muitos deles notáveis exercícios de sarcasmo social – veja-se o canal MOV) dão lugar, agora, precisamente àquilo que ele denuncia nos outros: a atitude de quem surge para impor um “sermão”. Na prática, perdeu-se a oportunidade de, pelo menos, fazer um filme que ajudasse crentes e agnósticos a lidar com a complexidade factual das religiões.

RTP

Deixe sua opinião