É verdade que o coronavírus está causando transtornos em todo o mundo. Países inteiros estão sendo colocados em quarentena. Eventos esportivos maciços estão sendo cancelados. As escolas estão sendo fechadas. Os mercados de ações estão entrando em colapso. Mas este é um mero tremor comparado ao que está por vir. Um dia a terra inteira será abalada.

Como o autor de Hebreus nos diz, o Senhor “nos prometeu, dizendo: ‘Mais uma vez abalarei não apenas a terra, mas também o céu.’ E esta afirmação, ‘Mais uma vez’ significa a remoção daquelas coisas que podem ser abaladas, coisas que são criadas, de modo que somente aquelas que não podem ser abaladas permanecerão ” (Heb. 12: 26-27).

Tudo será abalado nesse dia.

Foi assim que Jesus a descreveu: “Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, com perplexidade, o mar e as ondas rugindo; homens desmaiando de medo e expectativa do que está por vir na terra habitada. Pois os poderes do céu serão abalados “(Lucas 21: 25-26).

Ou, na linguagem vívida do livro do Apocalipse: “Então os reis da terra e os grandes homens e os homens ricos e os oficiais comandantes e os fortes e todos, escravos e livres, se esconderam nas cavernas e nas rochas Eles disseram às montanhas e às rochas: “Caia sobre nós e nos esconda da face dAquele que se assenta no trono, e da ira do Cordeiro, pois chegou o grande dia da sua ira. Quem é capaz de resistir a isso? ‘”(Apocalipse 6: 15-17)

Você consegue imaginar uma cena como essa?

Muito poucos querem falar sobre o julgamento de Deus hoje, mesmo dentro da igreja.

Os pregadores escolhem evitá-lo, e os congregantes os animam. “Dê-nos coisas doces! Dê-nos coisas felizes! Conte-nos boas histórias. Faça-nos sorrir! Não queremos ouvir sobre julgamento. Isso faz com que Deus pareça mesquinho.”

Pelo contrário, isso faz Deus parecer justo. Ele julgará a injustiça. Ele punirá os ímpios. Ele trará retribuição.

Boas notícias para os justos e piedosos. Como o salmista disse: “Toda a criação se regozije perante o Senhor, porque ele vem, ele vem julgar a terra. Ele julgará o mundo em retidão e os povos em sua fidelidade” (Sl. 96:13).

Julgar os iníquos também significa salvação para os justos.

O livro de Apocalipse também fala do derramamento de sete bacias de ira divina na terra, resultando em julgamentos horríveis sobre aqueles que se recusam a se arrepender (ver Ap 16).

  • Não haverá vacinas ou curas nesse dia.
  • Não haverá intervenção do governo federal.
  • Não haverá outra maneira de escapar – a não ser correr ao Senhor por misericórdia e refugiar-se sob Suas asas.
  • O julgamento certamente está chegando!

Isaías colocou assim (leia isso devagar e em oração): “Veja, o Senhor destruirá a terra e a devastará; ele arruinará sua face e espalhará seus habitantes – será o mesmo para o sacerdote e para as pessoas para o senhor como para o seu servo, para a senhora como para o seu servo, para o vendedor como para o comprador, para o devedor como para o credor, para o devedor e para o credor.  A terra será completamente assolada e totalmente pilhada. A terra seca e murcha, o mundo definha e os céus definham com a terra. A terra é contaminada por seu povo; eles desobedeceram às leis, violaram os estatutos e quebraram a aliança eterna. Portanto, uma maldição consome a terra; seu povo deve suportar sua culpa. Portanto, os habitantes da terra são queimados e muito poucos são deixados”(Isa. 24: 1–6).

Mesmo que entendamos que os profetas às vezes falavam em linguagem hiperbólica, o significado geral dessas palavras é inegável: um dia, um julgamento severo cairá em um planeta culpado.

No entanto, mesmo no meio dessa descrição aterrorizante, há palavras de esperança para o povo de Deus. De fato, há um convite divino para se refugiar Nele: “Venha, meu povo, entre em seus aposentos e feche suas portas atrás de você; esconda-se um pouco até que a indignação termine. Pois o Senhor sai de Seu lugar punir os habitantes da terra por sua iniqüidade; a terra também divulgará seu derramamento de sangue e não mais cobrirá seus mortos “(Isaías 26: 20–21, MEV).

Como provérbios declara: “O nome do Senhor é uma torre forte; os justos a atingem e são seguros” (Pv 18:10). E como o Salmo 91 declara, há um lugar de proteção, um esconderijo, em Deus Altíssimo. 

Por isso Jesus disse isso a Seus seguidores, imediatamente após advertir sobre o julgamento que viria à Terra: “Quando essas coisas começarem a acontecer, levante-se e levante a cabeça, porque sua redenção está se aproximando” (Lucas 21). : 28). A vinda do Senhor está próxima.

E é por isso que a própria passagem de Hebreus citada no começo deste artigo termina com o seguinte: “Portanto, como estamos recebendo um reino que não pode ser abalado, devemos ser gratos e adorar a Deus de maneira aceitável com temor e reverência, porque nosso Deus é um fogo consumidor ‘”(Heb. 12: 28–29)

O mundo inteiro será abalado, mas o reino de Deus – e o povo de Deus – não serão abalados.

Como o salmista declarou: “Deus é nosso refúgio e força, uma ajuda sempre presente na angústia. Portanto, não teremos medo, ainda que a terra ceda e as montanhas caiam no coração do mar, embora suas águas rugam e espumem as montanhas tremem com as ondas. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar sagrado onde habita o Altíssimo. Deus está dentro dela, ela não cairá; Deus a ajudará ao raiar do dia “(Sl 46: 1–5, NVI).

E isto: “Certamente os justos nunca serão abalados; serão lembrados para sempre. Eles não terão medo de más notícias; seus corações são firmes, confiando no SENHOR. Seus corações estão seguros, não terão medo; no fim, eles olharão triunfantes para seus inimigos “(Sal. 112: 6–8).

É verdade que o coronavírus levou muitas vidas até agora, e toda vida é preciosa. E é verdade que muitas outras vidas poderiam ser perdidas, junto com o sofrimento real de centenas de milhões devido a crises econômicas.

Mas este é apenas um pequeno sinal no radar comparado ao que está por vir.

Agora seria um bom momento para nós, como povo santo de Deus, aprender a confiar nEle no meio da crise, colocando profundamente nossas raízes espirituais.

Agora seria um bom momento para perceber que toda a vida é transitória e que, na melhor das hipóteses, estamos apenas passando por este mundo.

Agora seria um bom momento para se apossar da beleza da cruz e do dom da vida eterna.

E agora seria um bom momento para ser usado como agentes de misericórdia e esperança para um mundo ferido. Em Jesus, temos tudo o que precisaremos. E Nele, nunca seremos abalados.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia