Em uma ligação com rabinos americanos na quarta-feira, o presidente Trump desejou à comunidade judaica da América um “Shana Tova” (Feliz Ano Novo) antes do Ano Novo Judaico de Rosh Hashanah. O presidente lembrou suas realizações para o Estado de Israel, incluindo a mudança da embaixada para Jerusalém, o reconhecimento da soberania israelense sobre as Colinas de Golã e a retirada do Acordo Nuclear com o Irã.

Lembrando do criador

Passagem Bíblica referência ao discurso de Donald Trump
Salmos 119:90

O presidente também agradeceu a Deus que “durante esta época do ano, as comunidades judaicas muitas vezes se lembram das palavras do livro dos Salmos de que a fidelidade do Senhor continua por todas as gerações”.

“A tua fidelidade permanece em todas as gerações ; tu colocaste a terra no seu lugar, e ela fica firme.” – Salmos 119:90

O presidente também disse que o povo judeu é uma “bênção para o mundo”.

“Hoje agradecemos a Deus Todo-Poderoso por sua infinita bondade e pela esperança renovada por esta paz e por todas as coisas boas que aconteceram a Israel sob esta administração.”

Um lembrete bíblico

O telefonema deste ano não saiu sem polêmica. Ao concluir o discurso que incluiu seu genro e conselheiro do Oriente Médio Jared Kushner, Trump disse: “Nós realmente apreciamos você. Amamos o seu país também. ”

Biden apoiando grupos “judeus” questionou Trump se referindo a Israel como “Seu país”, embora a Torá afirme explicitamente que Israel é o país prometido a todo o povo judeu – incluindo judeus americanos. Esta promessa está escrita em muitos lugares ao longo da Bíblia incluindo o Livro de Josué:

“Como disse a Moisés, eu lhes darei toda a terra que pisarem.” – Josué 1:3

A esquerda se manifesta

Mas isso não impediu os grupos democratas “judeus” de usarem essa verdade bíblica para atacar Trump ironicamente.

“Mais uma vez, Trump está usando ilegalmente recursos do governo para se envolver em atividades políticas, espalhar desinformação e usar Israel como uma cunha política. Ele não entende que os judeus são americanos e continua a perpetuar os estereótipos de lealdade dupla”, tuitou a diretora-executiva do Jewish Democratic Council of America, Halie Soifer.

Aaron Keyak, o diretor de envolvimento judaico na campanha de Biden, disse que Trump “sugerir que os judeus americanos são de alguma forma menos que leais aos Estados Unidos da América” ??não era surpreendente, dadas as declarações anteriores de Trump que atraíram críticas dos judeus.”

“Mais uma vez, ao tentar denegrir os democratas como anti-semitas e anti-Israel, o próprio Donald Trump invocou o tropo anti-semita de lealdade dupla, observando que os judeus deveriam votar nele porque ‘nós [os republicanos] amamos seu país [Israel ]’”, disse o fundador e presidente do Michigan Democratic Jewish Caucus, Noah Arbit, em um comunicado. “Sr. Presidente, nosso país são os Estados Unidos da América, e é por causa de nossa lealdade profunda e permanente a esta nação que os judeus americanos … sentem repulsa por sua presidência falha, corrupta e autoritária, e providenciarão para que você seja derrotado em 48 dias.”

Deixe sua opinião