imagem ilustrativa

International Christian Concern foi informado que três professores cristãos da Escola Primária Kamuthe em Garissa, no Quênia, foram mortos pelo grupo terrorista da Somália al-Shabaab nas primeiras horas de 13 de janeiro de 2020. Os militantes armados emboscaram a vila Kamuthe por volta das 2 horas da manhã, visando o centro de recursos da escola que acolhia os professores. Antes da emboscada, os atacantes destruíram uma ferramenta de telecomunicações em um esforço para paralisar a comunicação enquanto realizavam seu ataque hediondo.

Robert Kibutu, um professor que mora fora da área residencial da escola, confirmou o ataque, dizendo: “ Meus colegas professores foram mortos a tiros por um número desconhecido de milícias al-Shabaab suspeitas que invadiram a escola primária Kamuthe nesta manhã e deixaram uma deles gravemente ferido por dois tiros. Estamos tristes e ao mesmo tempo assustados porque somos alvos de trabalhadores do governo não local que pertencem à fé cristã.

Os mortos foram Caleb Mutua, Titus Ushindi e Samuel Muthui Kyonzu. Joshua Mutua sobreviveu com ferimentos graves nas pernas.

De acordo com o chefe de segurança da região, “uma professora local foi levada pelos militantes e uma enfermeira foi poupada devido ao seu sexo”.

O ataque de hoje ocorre no contexto de uma série de ataques do grupo terrorista nas últimas cinco semanas, levando à perda de 25 pessoas no total em Wajir, Lamu, Mandera e Garissa. Em 6 de dezembro de 2019, quatro professores estavam entre os 11 passageiros cristãos não-locais mortos a caminho de Nairóbi para Mandera, quando al-Shabaab sinalizou o ônibus em que viajavam. Os militantes separaram os passageiros e mataram aqueles que falharam no local recitar a Shahada Islâmica.

As agências de inteligência de segurança alertam para possíveis ataques nos próximos dias, quando o Quênia marcar o assassinato mais mortal de suas forças em El Adde, Somália, em 15 de janeiro de 2016, e o ataque DusitD2 em 15 de janeiro de 2019. É comum para a al-Shabaab comemorar aniversários, realizando mais ataques.

O gerente regional da ICC para a África, Nathan Johnson, comentou: “Oramos para que as famílias dos falecidos e que a paz chegue a uma região que viu uma crescente violência contra os cristãos que estão apenas tentando sobreviver. Esperamos que o governo tome medidas efetivas para impedir o assassinato sem sentido de tantos cristãos no Quênia pelas mãos de extremistas islâmicos como al-Shabaab. Louvamos a Deus como refúgio e torre forte que Ele é para nossos irmãos e irmãs perseguidos em Cristo que continuam a suportar tanto. ”

Deixe sua opinião