Pai e filho cristãos são mortos no Egito; causa do crime seria relacionamento entre o rapaz e uma muçulmana.
Um jovem cristão copta foi queimado vivo por um muçulmano no Egito. O crime aconteceu porque Sabri Shihata, de 25 anos, estaria tendo um relacionamento com a irmã do outro rapaz, Yasser Ahmed Qasim. Ele se aproximou de Shihata sem ser percebido e derramou gasolina sobres eu corpo, ateando fogo em seguida. A vítima tentou apagar as chamas atirando-se em um canal próximo, mas acabou morrendo devido à gravidade das lesões. A tragédia não parou por aí – o pai de Shihata, de 60 anos, foi esfaqueado por um grupo de muçulmanos até a morte, e o irmão do rapaz morto, Rami Shihata, de 22, foi ferido na cabeça.
A polícia local prendeu os envolvidos no ataque, incluindo Qasin, e eles serão processados por homicídio doloso, tipificado quando se constata que o agressor tinha intenção de matar a vítima. Recentemente, a violência sectária entre cristãos e muçulmanos tem aumentado devido às conversões de seguidores do Islã ao cristianismo e a oposição do governo em aceitar essas mudanças de crença. Antes, os dois grupos conviviam pacificamente, mas atualmente tendem a viver separados, somente entre suas próprias comunidades religiosas. O Egito tem a maior população cristã do Oriente Médio, com cerca de 10 milhões. Boa parte deles segue o rito copta, vertente surgida há cerca de 1,5 mil anos.
Fonte: CristianismoHoje

Deixe sua opinião