Quando me tornei cristão, fiquei surpreso ao perceber que Deus perdoaria alguém como eu, que ele me mudaria e que ele tinha um plano para a minha vida.

Mas quando Deus realmente me usava para seus propósitos, eu me perguntava o que poderia trazer para a mesa. Eu não era um ótimo acadêmico. Eu não era músico. E eu não era um orador.

Eu era apenas um garoto de 17 anos de idade, sem muito a oferecer a Deus. De fato, eu me senti um pouco como o garoto da história do Novo Testamento sobre a Alimentação dos Cinco Mil. Ele tinha alguns pães de cevada e dois peixes, mas Jesus os multiplicou.

O pensamento de que Deus poderia me usar me surpreendeu, na verdade. E eu acreditava há cerca de duas semanas quando soube que deveria estar falando para as pessoas sobre Cristo. Então pensei em tentar. Vi uma mulher com a idade de minha mãe sentada na praia de Newport Beach, e achei que ela poderia ser legal comigo.

Então fui até ela e, com minha voz trêmula, conversei com ela sobre uma conversa sobre Jesus. Tenho certeza de que estraguei tudo naquele dia, mas, para meu choque e prazer, ela disse que sim quando perguntei se ela gostaria de aceitar a Cristo em sua vida.

Depois pensei: “Quero fazer mais isso.” Queria que Deus me usasse de outras maneiras. Muito tempo se passou desde então, mas posso dizer honestamente que a maior alegria que sei, além de ser cristã, está sendo usada por Deus. Que privilégio é esse!

No livro de Ezequiel, capítulo 22, Deus disse: “Procurei alguém que pudesse reconstruir o muro da justiça que guarda a terra. Procurei alguém para ficar na brecha do muro para não ter que destruir a terra, mas não encontrei ninguém ”(versículo 30 NLT).

Pense sobre isso. Eu acredito que Deus ainda está procurando pessoas para usar. Ele está olhando e dizendo: “Existe alguém que eu possa usar, alguém que possa ficar na brecha? Existe alguém que pudesse falar por mim, que não teria vergonha ou medo? Existe alguém que apenas se arrisca um pouco e me deixa falar através deles?

Anos atrás, um jovem chamado Dwight Lyman Moody estava trabalhando em uma loja de sapatos. Seu colega de trabalho compartilhou o evangelho com ele e, como resultado, Moody se tornou um crente. Então um dia alguém lhe disse: “O mundo ainda não viu o que Deus fará com um homem totalmente consagrado a Ele”.

Moody pensou: “Pelo Espírito Santo em mim eu serei aquele homem.”

Então ele passou de vender solas para salvar almas. Deus usou DL Moody poderosamente para tocar milhares, até milhões, de pessoas.

E Deus ainda está procurando o homem ou mulher em quem ele poderia trabalhar e que está totalmente comprometido com ele.

Todo mundo tem um púlpito, onde quer que esteja. Esse púlpito, por assim dizer, são as pessoas que influenciamos. Podem ser as pessoas que encontramos quando tomamos o café da manhã ou as pessoas ao nosso redor no trabalho. São pessoas em nossas famílias e em nossos bairros. Essa é a nossa plataforma, nosso púlpito.

Lembro-me do professor que me enviou esta carta recentemente:

Caro Pastor Greg,

Sou professora do ensino médio em uma área bastante difícil. Como professor de escola pública, tenho que encontrar maneiras criativas de testemunhar e compartilhar o amor de Jesus com eles, porque Jesus é um conceito muito estranho para muitos dos alunos daqui.

Decidi dar crédito extra aos estudantes se eles fossem à Cruzada da Colheita no fim de semana.

Fico muito feliz em informar que alguns dos alunos deram a vida a Jesus e vários estavam me fazendo perguntas, o que é uma oportunidade incrível para plantar mais sementes. A cruzada fez com que muitos estudantes pensassem em coisas que nunca ouviram em suas casas.

Minha oração é aqueles que viram a cruzada e não tomaram essa decisão, tomarão essa decisão. Mas não importa o que aconteça, vou manter contato com essas crianças e continuar a ser uma testemunha delas.

Agora, é alguém que está usando seu púlpito de maneira eficaz.

Depois, há Kanye West, que diz que é seguidor de Jesus Cristo agora. Ele lançou um álbum no ano passado chamado “Jesus Is King”. Ele fez serviços pop-up em todo o país, aos quais milhares de pessoas compareceram.

Em uma entrevista, ele disse: “Agora que estou a serviço de Cristo, meu trabalho é espalhar o evangelho, para que as pessoas saibam o que Jesus fez por mim. Eu espalhei muitas coisas. Houve um tempo em que deixei você saber o que a alta moda havia feito por mim, estava informando o que o Hennessy havia feito por mim … agora estou informando o que Jesus fez por mim.”

Eu acho fantástico, porque ele está usando sua plataforma considerável (e ele tem uma plataforma grande) para falar sobre fé. Tem pessoas falando sobre Jesus. E estou feliz por essa conversa.

Aplaudo qualquer pessoa que faça qualquer movimento em direção a Deus, e quero encorajá-los nisso.

Você não precisa ser um pregador para ter um púlpito. Todos nós temos um púlpito para pregar, não importa quem somos, não importa o que fazemos.

por: Pastor Greg Laurie
traduzido e adaptado por: Pb. Thiago D. F. de Lima

Deixe sua opinião