Aconteceu na mesa do jantar. Um pai tentou matar seu próprio filho. O pai estava irado com seu filho porque mantinha amizade com alguém que ele absolutamente odiava. A discussão começou e, antes de terminar, o pai enfurecido tentou matar seu próprio filho!Você provavelmente leu sobre isto. Não foi num jornal, mas na Bíblia. O pai foi Saul, Jônatas foi seu filho, e o amigo de Jônatas foi Davi. Por muito tempo a amizade entre Saul e Davi estava deteriorando. Saul tinha ciúmes e inveja de Davi. A situação estava complicada porque já tinha sido dito a Saul que seu reinado estava chegando ao fim. Enquanto contemplava sua própria perda de poder, ele sentia-se perseguido pelo canto do povo louvando Davi. Frustrado, irado, culpado e deprimido, Saul ficou amargurado!
Finalmente, o conflito chegou ao ponto em que Davi decidiu “sumir” por uns tempos. Quando o tempo do festival chegou, Davi não apareceu no jantar. Saul não disse nada no primeiro dia, mas no segundo em que Davi estava ausente, Saul interrogou seu filho a respeito do paradeiro de Davi. Rapidamente tornou-se patente que Davi tinha saído com aprovação e assistência de Jônatas.
Algo mais tornou-se aparente. Aos olhos de Saul, seu próprio filho estava manifestando mais respeito e lealdade a seu amigo do que a seu pai. Já era bastante ruim que Deus tivesse rejeitado o rei; era doloroso que o povo estivesse rejeitando o rei; mas agora, seu próprio filho estava, aparentemente, rejeitando-o. Mais uma vez, era Davi quem estava incomodando a vida deste monarca decadente.
A ira de Saul acendeu-se contra Jônatas. Foram trocadas palavras duras. Então aconteceu. “Saul arremessou sua lança contra Jônatas para matá-lo”(1 Samuel 20:33). O que levaria um homem a se tornar irracional em seu pensamento para que tentasse matar seu próprio filho? Amargura. A obsessão de Saul com Davi tinha-o tornado louco!
A amargura ainda está destruindo indivíduos, famílias e igrejas. Pais amargurados ainda estão arremessando lanças contra seus próprios filhos. Irmãos amargurados ainda estão assassinando uns aos outros. Freqüentemente, não é o abuso físico mas emocional que fere uma pessoa por toda a vida, ou mesmo destrói sua vida. Ore a Deus para que ele queira ajudar-nos a arrancar todas as raízes de amargura de nossos corações, antes que, amargurados, lancemos uma lança e acertemos o alvo!

– por David Thomley

Portal Padom

Deixe sua opinião