O arcebispo de Florença, Itália, Monsenhor Giuseppe Betori, suspendeu das funções o padre Alessandro Santorio que celebrou, domingo, o casamento de Sandra Alvino, 64 anos – um homem que se tornou mulher há mais de 30 anos – com Fortunato Talotta, 58 anos. Ambos, já casados no civil há 25 anos, não pronunciaram o clássico “sim aceito”, após o discurso tradicional. O casal trocou as alianças e foi abençoado pelo padre Santorio em Piagge, zona industrial da capital da Toscana.
Ao anunciar que havia “afastado” o padre Santoro de sua missão pastoral, o arcebispo convidou o sacerdote “a um período de reflexão e de oração”.
O padre ressaltou durante a cerimônia que sua decisão não era um ato de rebelião contra a Igreja, mas “um ato de fidelidade aos fiéis, ao Evangelho e às pessoas que amo”.
“Era meu dever”, declarou.
Há dois anos esse casamento religioso havia sido impedido pelo arcebispo de Florença da época, o cardeal Ennio Antonelli.
A Igreja afirma que o casamento não é válido, já que o direito canônico exige a heterossexualidade dos noivos.
Sandra Alvino se submeteu a uma cirurgia para mudar de sexo há mais de três décadas.

Último Segundo / Padom

Deixe sua opinião